Ferrovia: Consignada o subtroço Évora-Évora Norte e a construção de toda a Via e Catenária

Ferrovia

A empresa Infraestruturas de Portugal revelou, esta quarta-feira, que consignou a empreitada de Via e Catenária entre Évora e Elvas/fronteira e de construção do subtroço entre Évora e Évora Norte, que integrará o Corredor Internacional Sul, criado no âmbito do programa de investimentos na expansão e modernização da Rede Ferroviária Nacional, Ferrovia2020.

A consignação ocorreu numa cerimónia realizada ao início da tarde de hoje na sede da IP, em que foi assinado o auto de consignação da obra, que foi adjudicada ao consórcio Somafel – Engenharia e Obras Ferroviárias, S.A., Teixeira Duarte – Engenharia e Construções S.A., MOTA-ENGIL, Engenharia e Construção, S.A. e MOTA-ENGIL Railway Engineering, S.A., pelo valor de 86.989.263,98 euros.

A assinatura do auto de consignação marca o início da empreitada que tem um prazo de execução de 935 dias.

Recorde-se que o subtroço Évora – Évora Norte integra o traçado da nova Linha de Évora, com cerca de 100 quilómetros de extensão, dos quais 90 quilómetros são totalmente novos, entre esta cidade e a Linha do Leste. Um empreendimento que, com o início desta empreitada, está agora integralmente em execução no terreno.

De salientar ainda que, a empreitada consiste na construção das superestruturas de via e catenária entre Évora e Elvas/Fronteira, e construção civil (obra geral) do subtroço Évora – Évora Norte, na nova Linha de Évora, incluindo os seguintes trabalhos:

1.: No troço Évora – Évora Norte:

– Construção de um novo canal ferroviário, em variante à Linha de Évora, entre Évora (exclusive) e o quilómetro 121;

– Modernização do atual traçado da Linha de Évora, entre o quilómetro 121 e Évora Norte;

– Construção das instalações fixas de tração elétrica necessárias à eletrificação;

– Construção das pontes ferroviárias de Xarrama, Degebe e Vale Figueira;

– Construção de passagens desniveladas rodoviárias;

– Instalação de infraestruturas necessárias à sinalização eletrónica, telecomunicações e GSM-R;

– Instalação de torres/sites de GSM-R;

– Instalação do sistema de retorno de corrente de tração e terras de proteção.

2.: No troço Évora – Elvas/Fronteira:

– Assentamento da superestrutura de via-férrea (balastro, travessas, carril, AMV), em via única, bitola ibérica (1668) entre Évora (exclusive) e a Linha do Leste, incluindo a designada Concordância de Elvas;

– Assentamento da superestrutura de IFTE, entre Évora (exclusive), Elvas e a fronteira com Espanha, incluindo a designada Concordância de Elvas;

– Construção de três estações técnicas.

Como referido, o troço integra o novo canal ferroviário em construção entre Évora e a Linha do Leste, na ligação com a fronteira, criado numa lógica de desenvolvimento evolutivo das ligações ferroviárias a Espanha, no quadro da Rede Transeuropeias de Transportes (RTE-T) e da ligação ferroviária de mercadorias entre os portos portugueses e o resto da Europa, assegurando desde logo uma ligação de passageiros.  Serão igualmente criadas condições para a compatibilidade técnica e operacional na ligação aos troços adjacentes, e o cumprimento das disposições técnicas de interoperabilidade.

O presente contrato será parcialmente objeto de apoio da União Europeia através do programa Connecting Europe Facility (CEF), ao abrigo de contrato de cofinanciamento com uma taxa cobertura de 76,43%.