“Feiras medievais há em todo o lado, um evento ligado ao tapete de Arraiolos só se pode realizar em Arraiolos”, diz Ceia da Silva (c/som)

Até ao próximo dia 10 de Junho, o Centro Histórico de Arraiolos, no distrito de Évora, recebe mais uma edição do certame “O Tapede Está na Rua”, que celebra o mais genuíno artesanato: o Tapete de Arraiolos.

A cerimónia de abertura do evento contou com a presença do Presidente da Assembleia Municipal de Arraiolos, Jerónimo Loios, a Presidente da Câmara Municipal de Arraiolos, Sílvia Pinto, a Directora Regional de Cultura, Ana Paula Amendoeira, o Presidente da Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo, António Ceia da Silva e ainda a Reitora da Universidade de Évora, Ana Costa Freitas.

ODigital.pt esteve presente na inauguração do certame e falou com o Presidente da Entidade Regional de Turismo do Alentejo e Ribatejo, António Ceia da Silva, que começou por referir que “tudo o que sejam eventos ligados a produtos endógenos do território, sabem que merece da minha parte toda a mais-valia”, acrescentando que “estamos a promover aquilo que é nosso. Costumo dizer que feiras medievais há em todo o lado, desde Caminha a Vila Real de Santo António, aqui não. Um evento ligado ao tapete de Arraiolos só se pode realizar em Arraiolos, isso é de facto muito interessante. Depois a ligação às tapeteiras, a ligação a uma animação global nas ruas e é este tipo de eventos que vai fixando os turistas que acabam por ficar mais tempo no território”.

Ceia da Silva destaca a importância para o que “se passa depois de o Tapete estar na Rua, ouvimos aqui falar do centro interpretativo, da candidatura que primeiro tem de ir à lista indicativa nacional, há aqui um conjunto de procedimentos em que também participamos mas há uma coisa muito importante, o facto de nas Rotas do Património Cultural Imaterial que estamos neste momento a concluir, estamos em fase de conclusão ou melhor diria em fase de edição, Arraiolos é um dos pontos essenciais, na Rota da Lã, e portanto isso vai trazer, porque são pacotes muito estruturados em termos de venda, da tur-operação, 2-3 e 5 dias, portanto o Tapete de Arraiolos, as tapeteiras, a localidade, vão estar no centro desse roteiro, que vai ter uma dinâmica muito grande a nível nacional e a nível da internacionalização, e isso sim é muito relevante porque vai trazer turistas, reabilitar tapeteiras, vai criar emprego e dinâmicas económicas.”