Federação de Regantes preocupada com acesso equitativo à água no rio Guadiana

Rio Guadiana
Foto: D.R.

O Diretor-Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural, Eng. Gonçalo Leal, no 15.º Congresso da Água, alertou para a necessidade de acesso equitativo à água do Guadiana entre os regantes portugueses e espanhóis. Para além disso, este responsável ainda defendeu a construção de uma barragem no Ocreza, na bacia do Tejo, e da barragem da Foupana, no Algarve, para reforço da capacidade de armazenamento de água e regularização de caudais.

Neste contexto, a Federação Nacional de Regantes de Portugal (FENAREG) congratula-se com tal posição tomada pelo Eng. Gonçalo Leal, pois segundo o responsável, no Guadiana é urgente regulamentar as captações diretas em Alqueva a partir de Espanha, situação estimada já em 50 hm 3 /ano. Existe atualmente um vazio legal e é necessário garantir que os regantes espanhóis pagam um preço pelo uso da água, à semelhança dos regantes portugueses em situação de “precários”.

José Núncio, presidente da FENAREG, afirma que estão alinhados com esta ideia, pois acredita que “este é o momento de decidir e avançar com a execução destes projetos e outros, essenciais para a segurança hídrica futura no nosso país, criando novos armazenamentos de água, modernizando o regadio e resolvendo a situação dos precários dos perímetros de rega”.

A FENAREG é uma associação sem fins lucrativos, fundada em 2005, que agrupa várias entidades dedicadas à gestão da água para rega, tanto superficial como subterrânea, com o objetivo de unir esforços e vontades na defesa dos seus legítimos interesses e na promoção do desenvolvimento sustentável e da competitividade do regadio