Évora: Na Universidade falou-se de defesa nacional, com Reitora a alertar para os “populismos” e Ministro a “encorajar os jovens a pensar sobre segurança e defesa” (c/som e fotos)

A segurança e a defesa estão intrinsecamente ligadas aos valores da liberdade e do bem-estar. A preservação destes valores, indissociáveis do modo de vida das sociedades democráticas, deve encontrar nos jovens o seu garante futuro e o seu principal activo. As Universidades, como plataforma geradora de conhecimento e também responsável pela transmissão de conceitos e práticas de cidadania aos futuros líderes, nas mais diversas áreas de actividade do País, contam com o Instituto da Defesa Nacional (IDN) como um parceiro activo para a consecução desse objectivo.

Desta forma, numa organização conjunta de diversos Núcleos de Estudantes de Ciência Política

e de Relações Internacionais de Estabelecimentos de Ensino Superior Portugueses, em parceria

com o IDN, teve início esta terça-feira o “V seminário IDN Jovem” que até esta quarta-feira (27 de Novembro) na Escola de Ciências Sociais da Universidade de Évora (ECS – UE), na cidade de Évora, destinado a todos os estudantes do ensino superior que entendam concorrer.

Na sessão de abertura estiveram presentes o Ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, a Reitora da Universidade de Évora, Ana Costa Freitas, a Directora do Instituto da Defesa Nacional, Helena Carreiras e o Director da Escola de Ciências Sociais da Universidade de Évora, Silvério Rocha Cunha.

A Reitora da Universidade de Évora, Ana Costa Freitas, na sua intervenção destacou a “assunção de unilateralismos de mão dada com ou produto de populismos”, dando como exemplo “o Brexit e as incertezas que representa, ainda sem resultados à vista e temos toda a incerteza associada aos fluxos migratórios que tem posto a nu a dificuldade de alguns estados em darem uma resposta integrada e integradora.”

A Reitora afirmou ainda que “vamos observando, de forma incrédula e sem capacidade de reação, ao emergir de extremismos que assumem crescente relevância no contexto europeu com percussões que talvez não fossem imagináveis há 10 anos atrás. Esses extremismos devem fazer-nos questionar as suas origens e aquela que parece mais evidente é uma desilusão cada vez maior da sociedade”.

Já o Ministro da Defesa, João Gomes Cravinho, em declarações à imprensa referiu que veio a este seminário dizer aos jovens que “temos um mundo pela frente, que é um mundo complexo difícil e que exige a nossa atenção e portanto, quis sobretudo encorajar os jovens a pensar sobre segurança e defesa, trabalhar nesse domínio, nos seus trabalhos académicos e a ajudar a densificar o pensamento em Portugal sobre as questões estratégicas que vão ser fundamentais para a nossa segurança no futuro.”