Évora: Ministra da Cultura visitou livraria e afirmou que o livro para além de “valor cultural, também tem um valor económico”(c/som e fotos)

A Ministra da Cultura, Graça Fonseca, realizou este sábado (6 de Junho) o primeiro de dois dias de visita ao Alentejo.

Nesta visita ao Alentejo, a Ministra da Cultura passou por Évora e um dos pontos que visitou foi a livraria Fonte de Letras, esta que é a única livraria do Alentejo a fazer parte da Rede de Livrarias Independentes.

Graça Fonseca, esteve à conversa com a Proprietária da livraria, esta que explicou todas as dificuldades que atravessa, mas que mesmo assim não baixou os braços durante o estado de emergência, continuando a funcionar durante o pico da crise.

Como referido, esta livraria de Évora integra a Rede de Livrarias Independentes (RELI), que no final desta semana lançou um manifesto reivindicando mais apoios.

Sobre este tema, a Ministra da Cultura referiu que “compreendo que todos os sectores da cultura estão a passar por dificuldades e tenho falado com muitos que fazem a caracterização mais caracterizada da situação”, acrescentando que “a RELI tem sido um parceiro, pois como sabem durante o período de emergência abrimos uma linha de compra de aquisição de livros a livrarias e editoras independentes, na segunda-feira vamos anunciar os resultados dessa aquisição de 400 mil euros de livros e também este ano está previsto mais 200 mil euros de aquisição de livros e, portanto, há um conjunto de medidas que foram adoptadas no período de emergência e durante esse período a conversa que tivemos sempre foi a preparação do futuro.”

Graça Fonseca deu a conhecer que “tivemos uma reunião com a RELI e há três temas que temos discutido muito e que estamos a encontrar caminho para fazer parcerias, por um lado a questão que tem sido muito colocada que é a Lei do Preço Fixo, por outro lado a vontade que a RELI tem, e que do nossos lado tem todo o apoio, que é de ter uma plataforma de venda de livros online, porque algo que esta situação nos trouxe a todos, é que é muito importante de ter outras formas de chegar aos leitores e de poder comprar livros.”

Já sobre o manifesto lançado pela RELI, a Ministra com a tutela da Cultura referiu que “sei que a campanha que estão a fazer hoje, que visa algo muito importante que é alertar o Estado, e o Estado está alertado, mas também visa algo muito importante, que é as pessoas darem importância ao livro, a comparar um livro, ou seja, perceberem que o Livro tem um valor, tem um valor cultural, mas também tem um valor económico.”