Sexta-feira, Agosto 12, 2022
Pub

Évora: Florbela Espanca inspira residência artística que quer “refletir sobre a condição da mulher”

- Publicidade -
- Publicidade -

A ATE – Produções: Arte, Teatro e Educação – promove uma residência artística na cidade de Évora, inspirada em Florbela Espanca.

A Vida e a Morte é a 2ª edição do projeto Residências Artísticas, promovido pela ATE-Produções, co-produzido pela Câmara Municipal de Évora e tendo como parceiros institucionais o Ministério da Cultura e a Direção Regional da Cultura do Alentejo.

ODigital.pt falou com a diretora artística, Alexandra Oliveira, que nos falou sobre este projeto dizendo que este tipo de residências “vai na segunda edição, vem na sequência das residências artísticas que nós promovemos para mulheres e normalmente são 8 mulheres artistas que nós convocamos em “open call” para terem acesso a um conjunto de materiais e de tempo para se puderem dedicar, num coletivo artístico, de forma a criar uma exposição que surge no final da residência.”

Explica Alexandra Oliveira que é intenção “promover artistas mulheres, no caso desta residência em que o tema é a ‘Vida e a Morte’, que é um poema da poetisa alentejana Florbela Espanca”.

Já sobre a escolha de 8 mulheres, refere Alexandra Oliveira que foi “baseado numa peça de teatro que é ‘8 femmes’ de François Ozon, uma peça que nós consideramos muito interessante pela diversidade das personalidades que atuam e nós achámos interessantes partir desta premissa das 8 mulheres com todas as suas características e personalidades se juntarem para concretizarem várias peças, que vão desde o audiovisual, à pintura, à escultura, à performance, ou seja, todo um cruzamento interdisciplinar artísticos que depois é colocado nesta exposição sobre a ‘Vida e a Morte’.”

A escolha das artistas a participar nestas residências artísticas “passa pela abertura de um ‘open call’ anual, para que as artistas se possam candidatar, no caso de se identificarem com a temática e todas as artistas se poderão inscrever e normalmente nós temos um público-alvo e este ano foram jovens artistas até aos 30 anos”, frisou a responsável.

A residência artística que está a decorrer em Évora tem como tema “A Vida e a Morte”, título de um poema de Florbela Espanca e que segundo Alexandra Oliveira “inspirou-nos de certa forma a pensar, repensar e refletir sobre esta dicotomia da vida e da morte, e todos os trabalhos deverão, não só dar a perceber esta reflexão como também na condição de mulher que Florbela viveu. Queremos toda uma reflexão da condição da mulher no mundo ao longo do tempo, que também podemos ver traduzias nas peças das artistas.”

O feminismo é um assunto bastante abordado por estas jovens artistas, a condição da mulher no mundo, a condição da artista mulher, a relação entre a mulher contemporânea e as mulheres de outros tempos, e também tentar fazer com que o espetador possa viver estas questões e sensações”, referiu a diretora artística.

Até 30 de novembro, as obras de arte que resultarem desta residência artística estarão expostas no Mercado Municipal de Évora, onde podem ser observadas as obras das artistas como ‘The Bond’, de Laura Calado, ‘Diário Auto-erótico de uma miúda de 16 anos’, de Alexandra Barbosa, ‘Fototrópica’, de Joana Calhau, ‘Escrevi para que SIM’, de Catarina Real, ‘Efemeroptero’, de Beatriz Domingues, ‘Sempre a Donzela, nunca a noiva’, de Filipa Jaques, ‘Lei da Mordaça’, de Francisca Sousa e uma peça de Joana Piçarra.

No decorrer desta exposição, que será inaugurada esta sexta-feira, haverá oficinas destinadas a crianças e jovens, de forma a “dar a perceber o que é a arte no coletivo de artistas enquanto residência e o coletivo artístico que poderá resultar das oficinas artísticas, o que pretendemos é desenvolver pequenas peças que possam ser integradas numa grande peça”, explicou Alexandra Oliveira.

De salientar que a exposição no Mercado Municipal de Évora estará patente até 30 de novembro.

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

As mais vistas

Mais notícias

Morreu Carlos Caçador Durão, primeiro autarca de Barrancos em democracia

Carlos Caçador Durão, o primeiro presidente da Câmara de Barrancos (Beja) eleito em democracia, morreu hoje, aos 89 anos, disse à agência Lusa o...

Redondo: Ass. Terras D’Ossa lançou um passaporte para melhor conhecer a Serra D’Ossa e não só

A Serra D’Ossa localizada no coração do distrito de Évora, é considerada o pulmão dos concelhos de Alandroal, Borba, Estremoz, Redondo e Vila Viçosa,...