Évora: “Este é o início do processo de renovação de toda a misericórdia”, disse Provedor (c/fotos)

Misericórdia de Évora

Decorreu, esta sexta-feira, a cerimónia de Bênção da Unidade de Cuidados Continuados Integrados da Santa Casa da Misericórdia de Évora.

Um ato que foi presidido pelo Arcebispo de Évora, D. Francisco Senra Coelho, tendo marcado presença o Provedor da Misericórdia de Évora, Francisco Lopes Figueira, o Presidente da Administração Regional de Saúde, José Robalo, o Diretor do Centro Distrital da Seg. Social de Évora, José Ramalho, bem como outros membros da SCM de Évora.

A obra, que se iniciou este ano, trata-se do Projeto de Requalificação e Ampliação do Complexo Ramalho Barahona, tendo por base as necessidades verificadas no Mapeamento dos Investimentos em Infraestruturas Sociais e na Rede de Cuidados Continuados Integrados – região Alentejo.

Trata-se de um projeto financiado em 3.400.000.00€ pelo FEDER e com um custo total estimado de mais de 5.000.000.00€ prevendo-se sua conclusão no prazo de 20 meses.

O edifício agora em construção contempla um primeiro andar onde irá funcionar a Unidade de Cuidados Integrados com capacidade para 45 lugares em Unidade de Longa Duração e Manutenção (ULDM) e Unidade de Média Duração e Reabilitação (UMDR), neste último caso permitindo a relocalização da UMDR existente e que tem capacidade para 12 lugares. Já ao nível do rés do chão, permitirá a reorganização da Estrutura Residencial para Pessoas Idosas – Recolhimento Ramalho Barahona. De salientar que, o edifício possibilita a deslocalização de cerca de 40 utentes da atual ERPI para este novo espaço.

Nas palavras proferidas na cerimónia realizada, esta sexta-feira, o Provedor da Misericórdia de Évora, Francisco Lopes Figueira, referiu que “este projeto representa um passo extremamente importante”, pois “esta é uma alteração estrutural para a criação de uma Misericórdia que possa adaptar-se e vir a responder a necessidades do presente e do futuro”.

O Provedor salientou o fato de a Misericórdia de Évora ter “muitas instalações antigas e carregadas de simbolismo, mas com sérias dificuldades em poderem responder às exigências dos regulamentos de hoje e com sérias dificuldades para poderem responder às exigências de quem usa as nossas respostas sociais” e por isso “este é o inicio do processo de renovação de toda a misericórdia, é o apontar um caminho novo para a renovação das instalações da misericórdia”, acrescentando ainda que “temos muitos outros projetos em marcha”.

O responsável concluiu, deixando claro que “esta obra não se trata de uma ampliação do hospital da misericórdia, isso é outro projeto distinto”.

Por sua vez o Presidente da Administração Regional de Saúde, José Robalo, referiu que “na Saúde ficamos sempre satisfeitos quando há um desenvolvimento de novas estruturas que vão permitir que, quer o acesso e quer a prestação dos serviços podem melhorar”, considerando que “os cuidados continuados vão ter uma importância fundamente no sistema de saúde, porque cada vez mais a tendência não é para centralizar pessoas em edifícios”.

José Robalo afirmou que “nós, Saúde, não teríamos essa capacidade interna se não fossem as instituições a apoiar com este tipo de valências”.

Já o Diretor do Centro Distrital da Seg. Social de Évora, José Ramalho destacou o fato de que “atualmente na área social haver agora novas formas de atenção para os idosos, não é só as preocupações com a alimentação, com o conforto e com o apoio social, há outra preocupação, que é a saúde.

José Ramalho realçou “a resposta diferenciada da RNCCI à pandemia, onde o número de surtos e óbitos foi reduzido, o que quer dizer que este modelo indica que estamos no caminho certo.”

Fique de seguida com as imagens da cerimónia de Benção: