Évora assina protocolo para criar “Laboratório Vivo para a Descarbonização de Évora”

Câmara de Évora
Foto:D.R.

É assinado esta manhã, em Évora, o contrato de consórcio do “Laboratório Vivo para a Descarbonização de Évora” (LVpDÉ), um projecto que tem como foco o centro histórico da cidade e que visa a implementação e demonstração de soluções tecnológicas inovadoras ligadas aos sectores dos transportes e mobilidade, da promoção da eficiência energética e do espaço urbano eficiente.

Segundo a autarquia, “o LVpDÉ conta com um valor máximo de financiamento de 500 mil euros para um investimento total superior a 1 milhão de euros e vai ser implementado em regime de consórcio por um conjunto alargado de parceiros, cabendo ao Município a sua gestão. O prazo previsto para fase de implementação será até final do primeiro semestre de 2021.”

Este consórcio é constituído pelo GoWithFlow, Logistema, Universidade de Évora, Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central, DECSIS, ALTICE e Agência Desenvolvimento Regional Alentejo, sendo responsável pelas grandes áreas da “Mobilidade Sustentável”, “Espaço Colectivo Eficiente”, “Centro Integrado da Operação/Monitorização”, “Insfraestruturas e Conetividade”, “Zoom Operativo” e “Gestão de Meios”.

A edilidade adianta ainda que “o Laboratório Vivo traduz-se na adaptação de um espaço urbano com identidade local por forma a tornar-se num espaço de teste, demonstração e apropriação de soluções tecnológicas integradas em contexto real, com foco nas questões da mobilidade. O projecto promove a descarbonização da vivência em cidades, através da integração de soluções nos domínios dos transportes e mobilidade, eficiência energética em edifícios, serviços ambientais inovadores e promoção da economia circular.”