Segunda-feira, Março 4, 2024

Évora: Apresentado o livro ‘Mulheres Incomuns’ que “celebra o sucesso no feminino” (c/som)

- Pub -

“Mulheres Incomuns” é o título do livro, da autoria de Vera Margarida Cunha, Susana Castanheira e Luísa Bernardes, que foi apresentado, em Évora, esta terça-feira.

A apresentação da obra, que tem prefácio de Filipe Almeida e Luís Marques Mendes, teve lugar no Centro de Inovação Social da Fundação Eugénio de Almeida.

Segundo Luísa Bernardes, uma das autoras do livro, explicou que “este livro fala de 12 percursos de mulheres que se destacam na sociedade portuguesa nas mais diversas áreas, desde o jornalismo, grandes empresas, como é o caso da Rita Nabeiro, da política, da investigação, da economia social e, no fundo, são percursos de vida que estão descritos pelo olhar de outra mulher.”

“Cada mulher retratada é retratada por outra mulher que, no fundo, aceitou o desafio de olhar para o percurso daquela mulher tão inspiradora, de aprender com ele e partilhá-lo num livro, num artigo, para inspirar também a sociedade portuguesa e as pessoas que queiram seguir estes exemplos”, frisou Luísa Bernardes.

Apresentar o livro em Évora aconteceu porque “a autora, que escreveu sobre Rita Nabeiro, está baseada em Évora. Ela já vive em Évora há muitos anos e achou-se muito interessante desafiar a Fundação Eugénio de Almeida para fazer cá a apresentação do livro, até olhando para a família Nabeiro e a ligação que tem ao território alentejano”, disse.

Questionada sobre a ideia de juntar os testemunhos de 12 mulheres, Luísa Bernardes referiu que “foi decidido criar uma comunidade de mulheres incomuns, no fundo, para celebrar o sucesso no feminino. Esta comunidade é aberta a toda a gente. Há homens e mulheres, mas no fundo, o que se pretende é que toda a gente celebre o sucesso no feminino, dar-lhe visibilidade para inspirar a sociedade.”

Já Rita Nabeiro, que é retratada no livro como “uma empreendedora com muita vontade de mudar o mundo para melhor”, referiu aos jornalistas que sente que tem “um dever e um sentimento de justiça de querer devolver aquilo que que também sempre tenho vindo a receber e talvez por isso o meu lado de empreendedor tem que ver com uma busca incessante de procurar soluções para determinadas questões, para determinados problemas, sejam eles, às vezes mais práticos do negócio, do dia a dia, mas também são, às vezes, questões também sociais e injustiças sociais que às vezes também podemos usar a nossa voz”.

Rita Nabeiro disse ser um “orgulho de poder estar entre mulheres fantásticas que estão retratadas no livro e por isso só posso sentir essa gratidão”.

A Administradora do Grupo Nabeiro concluiu referindo que “ainda há um caminho longo a percorrer, por isso ainda é importante falar sobre estes temas, sendo que, por outro lado é importante perceber o lado da filosofia e se calhar alguma da parte da origem, do porquê que às vezes há este preconceito”.

Já Maria do Céu Ramos, secretária-geral da Fundação Eugénio de Almeida, apontou “o significado muito particular ao abrir as portas e acolher as autoras, as retratadas”, pois, “neste gesto simples de recebermos aqui o lançamento em Évora do livro ‘Mulheres Incomuns’, acrescenta a celebração dos 60 anos da Fundação Eugénio de Almeida esta sensibilidade e esta visão que enriquece e ao mesmo tempo, corporiza os valores da fundação.”

- Pub -

Também pode gostar

- Pub -

Últimas Notícias

Autarca de Reguengos de Monsaraz diz que faltam restaurantes para acolher tanto turista

A presidente da Câmara de Reguengos de Monsaraz, Marta Prates, aponta a “falta de estabelecimentos de restauração” como um...