Estrela Michelin atribuída a um restaurante de Reguengos de Monsaraz

Restaurante Esporão

O Guia Michelin Espanha e Portugal 2022 distingue cinco restaurantes portugueses com uma estrela, anunciou hoje a organização, numa cerimónia na cidade espanhola de Valência.

A estrela Michelin, que identifica uma ‘cozinha de grande nível, compensa parar’, foi atribuída aos restaurantes “Al Sud” (Lagos), “A Ver Tavira” (Tavira), “Cura” (Lisboa), “Esporão” (Reguengos de Monsaraz) e “Vila Foz” (Porto).

Além destas novidades, em 2022, Portugal mantém todas as distinções anteriores e continua a não ter nenhum restaurante com a classificação máxima (três estrelas, ‘uma cozinha única, justifica a viagem’).

O país passa assim a contar com sete restaurantes com duas estrelas (‘cozinha excelente, vale a pena o desvio’) e 26 com uma estrela Michelin.

As distinções da edição do próximo ano do guia ibérico foram anunciadas hoje numa gala no auditório do Palau des Arts Reina Sofía, em Valência, perante cerca de 600 convidados, entre chefes de cozinha, responsáveis políticos, empresários e imprensa.

Já em Espanha, quatro restaurantes subiram à segunda estrela, enquanto 27 receberam uma estrela. Mantêm-se os 11 restaurantes com três estrelas da edição anterior.

Por outro lado, dois restaurantes perderam as duas estrelas e 22 perderam a primeira. Os motivos vão desde a avaliação dos inspetores ao encerramento ou mudança de local.

Outra novidade deste guia é a entrada de Andorra, com um novo restaurante (“Ibaya”) com a primeira distinção.

No total, a seleção de 2022 do Guia Michelin ibérico inclui 1.362 restaurantes de Espanha, Portugal e Principado de Andorra, entre os quais 11 com três estrelas, 40 com duas estrelas e 211 com uma estrela.

Resultados que, para a Michelin, refletem “a vitalidade e o dinamismo do panorama gastronómico ibérico, que impressionou os inspetores”.

“Os nossos inspetores desfrutaram especialmente da preparação da seleção de 2022, pelo impulso gastronómico que vive atualmente a Península Ibérica, e que se confirma ano após ano. Em Portugal e Espanha, e apesar da complexa situação de 2021, surgiram muitos jovens talentos que defendem os seus inovadores e diversificados conceitos gastronómicos com personalidade”, afirmou o diretor internacional dos guias Michelin, Gwendal Poullennec.

As distinções reconhecem a qualidade da cozinha, com base em cinco critérios avaliados pelos inspetores, de forma anónima: qualidade dos produtos, domínio dos pontos de cozedura e das texturas, equilíbrio e harmonia dos sabores, personalidade da cozinha e regularidade.

No início da cerimónia, foram chamados ao palco também os cozinheiros dos restaurantes galardoados no ano passado, em que não se realizou uma cerimónia presencial, mas apenas virtual devido à pandemia de covid-19. No caso português, receberam no Guia Michelin 2021 a primeira estrela os restaurantes “100 Maneiras” (‘chef’ Ljubomir Stanisic) e “Eneko Lisboa” (‘chef Lucas Bernardes’).

Na categoria Bib Gourmand, que identifica restaurantes com uma “muito favorável relação qualidade-preço, com um menu completo por não mais que 35 euros”, foram escolhidos dois portugueses: “Arkhe” (Lisboa) e “Xtoria” (Setúbal).

Portugal contabiliza 36 restaurantes nesta categoria, enquanto Espanha tem 247 (41 novos) e Andorra um, num total de 284 no guia ibérico.