Espetáculo “Open Air” em Estremoz mistura ‘video mapping’ e novo circo

Open air estremoz

Um espetáculo que mistura a experiência digital do ‘video mapping’ e o novo circo, através da dança vertical, vai realizar-se no Castelo de Estremoz (Évora), a 03 e 04 de setembro, revelou hoje a organização.

Intitulado “Open Air – Where video mapping meets circus”, o espetáculo é um projeto do coletivo Oskar & Gaspar, que reúne profissionais de artes visuais, em parceria com a estrutura artística Laboratório, que envolve profissionais nas áreas da performance e do novo circo.

Segundo os promotores, em comunicado enviado à agência Lusa, a iniciativa surgiu “em resultado da pandemia” de covid-19 e junta as práticas artísticas do ‘video mapping’ com a dança acrobática vertical.

“Muitos foram os projetos que nasceram em resultado da pandemia” e “o mesmo aconteceu” com este, visto que, “com o mundo a fechar, a Oskar&Gaspar precisava de encontrar soluções e contrariar a ausência de criação e partilha com os outros”.

E, foi “no meio desta reflexão” que se reencontrou com o Laboratório, tendo o espetáculo nascido “desta vontade de estarem juntos e de uma residência” ou “resistência artística e criativa, que ganhou vida durante o confinamento de 2020”, frisaram.

“Já que ficámos todos sem chão e a flutuar no tempo, o melhor seria isso mesmo, apostar numa experiência em que todos, alguns de uma forma mais metafórica, ficam literalmente suspensos no ar, no tempo, na fantasia, sem chão para poisar”, resumiram.

A proposta “vive da fantasia” e “mistura a experiência digital e o novo circo, com a dança vertical, partilhando uma realidade de corpo e coração a flutuar no espaço e no tempo, como que a querer oferecer a todos os espetadores esse mesmo espaço de ar aberto e livre”, indicaram ainda os organizadores.

O espetáculo “Open Air” é este “encontro de resistência” que “vê agora a luz do dia, numa apresentação única e de estreia” em Estremoz, com o apoio de vários parceiros.

“Vai dar corpo a uma narrativa visual e física que procura dar a reconhecer os fundamentos de qualquer sociedade: criar uma vivência conjunta para responder às ameaças e fantasias futuras”, resumiram.

O espetáculo, com entrada livre, está previsto decorrer às 21:00 e às 22:00, nos dois dias, de acordo com as “regras sanitárias em vigor”, devido à pandemia de covid-19, contando ainda com animação pela Sociedade Filarmónica Artística Estremocense.