Escultura de grandes dimensões em destaque na exposição “Like a dog” em Évora

Cão na Praça do Giraldo
Foto: D.R.

Uma escultura que representa um cão, com mais de dois metros de altura, está em destaque na exposição “Like a dog”, que o artista urbano Ricardo Romero apresenta em Évora, até 16 de maio.

A peça, intitulada “phobos”, foi produzida, em 2020, com recurso a resina acrílica, fibra de vidro, poliestireno expandido e metal e tem 2,23 metros de altura e 3,5 de comprimento, indicou hoje à agência Lusa Ricardo Romero.

“Like a dog”, com trabalhos desenvolvidos pelo artista no último ano, nomeadamente pintura, um néon e a escultura de grandes dimensões, pode ser vista numa loja da câmara municipal situada na Praça do Giraldo, no centro da cidade.

A realização desta exposição em Évora foi proposta por Ricardo Romero à “chamada” para performances artísticas lançada no âmbito do festival “Artes à Rua”, organizado pelo município alentejano.

O artista contou à Lusa que, durante a recente instalação da exposição, a escultura foi colocada, por alguns minutos, em plena Praça do Giraldo para “ser fotografada” e isso “mexeu muito” com quem passava e “criou um grande diálogo entre a peça e as pessoas”.

Já a exposição surge na linha do trabalho que tem desenvolvido nos “últimos anos” e “fala, sobretudo, sobre as ligações que existem entre a política e todo o universo das artes”, com o artista a utilizar “os animais como metáfora para passar a mensagem” que pretende transmitir.

Ricardo Romero explicou que o título a mostra, “Like a dog”, vem “de uma frase que era bastante recorrente” nos discursos do ex-presidente dos Estados Unidos da América Donald Trump, “onde fazia esta analogia entre aquilo que é o animal e a pessoa”.

Muitas vezes, quando o [então] presidente norte-americano se referia aos seus inimigos, por exemplo, quando os Estados Unidos eliminaram o líder do ‘Daesh’”, Donald Trump afirmou que “ele tinha morrido ‘like a dog’”, ou seja, como um cão, referiu.

O artista urbano frisou que a frase ‘like a dog’ “traduz muito daquilo que é a tensão política que se vive nível mundial”, sublinhando que decidiu partir “desse pressuposto para, depois, desconstruir todas as peças que são apresentadas” na exposição.

Nascido em Évora, Ricardo Romero, atualmente, vive e trabalha em Leiria.

A sua prática artística, com forte influência nas linguagens artísticas urbanas, estende-se por várias tipologias de trabalho, como pintura, escultura, fotografia e vídeo.

O artista é convidado para exposições, projetos de arte pública, festivais e publicações, desde 2004, e é também curador e responsável por vários projetos de arte pública.