Escola de Hotelaria de Portalegre apresentou programa que vai formar gestores e empresários do Turismo

A Escola de Hotelaria e Turismo de Portalegre apresentou, esta quarta-feira, a segunda edição do programa BEST – Business Education for Smart Tourism, uma iniciativa do Turismo de Portugal, aplicada pelas escolas a nível nacional, e que procura capacitar gestores, empresários e empreendedores do sector do Turismo para as novas realidades do mercado.
Na apresentação marcaram presença a Directora da Escola de Hotelaria de Portalegre, Maria da Conceição Grilo, o Presidente da Entidade Regional de Turismo, António Ceia da Silva, o representante da AHRESP, João Cavaleiro Ferreira, bem como Manuel Belo, coordenador do programa.
Em declarações à imprensa, a Directora da Escola, Maria da Conceição Grilo, começou por dizer que “o programa Best Business Education for Smart Tourism , é um programa que desenvolve acções de formação e de capacitação destes empresários em áreas tão diversas como o marketing, a área do digital, a área da gestão financeira. Um leque muito diverso de acções de formação de operação das empresas.”
A responsável, referenciou que os principais objectivos deste programa é “o desenvolvimento das competências estratégicas das empresas e dos seus empresários, melhorar também a sua gestão competitiva e no fundo podermos ser o farol para estas empresas, para os desafios que o mercado tem e para as novas tendências que diariamente se apresentam às empresas.”
Deste programa fazem parte, “acções de formação de curta duração, normalmente de 4 horas, são gratuitas e destinadas essencialmente a gestões. Nós temos calendarizadas um conjunto de acções nesta que é a segunda edição do programa Best e neste caso robustece-la, pois a primeira edição foi um sucesso, todos os participantes sublinharam a importância que esta formação teve no seu desenvolvimento pessoal e no seu desenvolvimento empresarial”, disse também Maria da Conceição Grilo.
A Directora da Escola de Hotelaria de Portalegre deixou claro que “a formação de activos , a formação de gestores e empresários, é uma área de formação tão importante como a formação iniciar e neste momento com um numero de alunos muito significativo”.
Sobre as suas expectativas para este programa, Maria da Conceição Grilo salientou que “na primeira edição ultrapassamos os 100 participantes nas acções que desenvolvimentos, mas temos o objectivo de multiplicar, e quem sabe podermos atingir o meio milhar.”

Nesta conferencia falou ainda António Ceia da Silva, Presidente da Entidade Regional de Turismo do Alentejo, que começou por Dizer que “é um programa muito bem estruturado”, acrescentando que “a importância da realização de um programa destes é tão grande, em função de dois aspectos, nomeadamente o crescimento em valor, ou seja, o Alentejo mudou o perfil do turista, um turista que consome mais 30% nos últimos dois anos, é um turista mais exigentes e com mais poder de compra e é um turista com maior apetência cultural e esse turista exige uma oferta qualificada, ou seja, não basta a formação inicial dada pela escola, que é a formação de mesa, de cozinha e um conjunto de curso de gestões, mas é preciso irmos mais além, como é a gestão financeira, ao marketing, ao desperdício alimentar, à optimização das vendas em época baixa, ou seja, temos de ir de encontro ao turista, quer dizer que a oferta é que se tem de adaptar à procura.”
Concluindo que outro dos aspectos que mostra a relevância deste programa, é “o aumento do numero de hotéis, estas unidades vão necessitar de quadros com uma formação avançada e distinta do que era até agora.”


Falou ainda João Cavaleiro Ferreira, da AHRESP, que também relevou a importância deste programa, adiantando também que “na restauração e no alojamento local temos uma carência renome de conhecimento na área de gestão e no digital também.”