Entidades alentejanas integram plataforma que ajuda o setor do vinho a enfrentar alterações climáticas

Vinha

A NOVA School of Science and Technology | FCT NOVA lançou, recentemente a VINEAS, uma plataforma para o setor do vinho promover o desenvolvimento de estratégias e soluções de adaptação às alterações climáticas.

A VINEAS é resultado do projecto MEDCLIV liderado em Portugal pela NOVA School of Science and Technology | FCT NOVA. 

Segundo é explicado em comunicado enviado a’ODigital, “o MEDCLIV é um projeto cofinanciado pelo EIT Climate-KI, que une cinco países da região Mediterrânica, uma das mais afetadas pelas alterações climáticas”, pretendendo “dinamizar o ecossistema nacional, tendo como principais objetivos a caracterização do sector nas suas preocupações climáticas e o desenvolvimento de eventos participativos e de cocriação.”

Já a plataforma VINEAS agrega “a informação, conhecimento e resultados práticos do projeto que pretende mitigar as alterações climáticas no setor do vinho, reunindo os agentes de Portugal que podem partilhar os seus próprios projetos e resultados de sustentabilidade”, indica os responsáveis.

O objetivo final é que “a plataforma seja um espaço de partilha de soluções gerais e específicas para a vinha, com dados atualizados e um mapa relacional e geográfico”, é ainda referido.

Entre os agentes presentes na plataforma de cooperação do setor do vinho estão entidades do Distrito de Évora, nomeadamente a Universidade de Évora, a Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (CVRA), e a Associação Técnica dos Viticultores do Alentejo (ATEVA).

O projeto MEDCLIV é liderado em Portugal pela NOVA School of Science and Technology | FCT NOVA e decorre em mais quatro países mediterrâneos: Espanha, Itália, França,  Eslovénia e Chipre. As restantes parcerias do projeto são: a Fundação Edmund Mach e o Instituto de BioEconomia (Itália); o Instituto Nacional de Investigação para a Agricultura, Alimentação e Ambiente e do Centro de Investigação Agrícola para o Desenvolvimento (França); a Universidade Politécnica de Valência (Espanha); Instituto Nacional de Química (Eslovénia); e Universidade de Tecnologia do Chipre.