Emocionado, Cláudio Ramos escreve que “se há lugar para vestir cor, será no Alentejo!”

Cláudio Ramos fala sobre o seu alentejo

O mediático apresentador de televisão Cláudio Ramos regressou, nos últimos dias à sua terra natal, Vila Boim, no concelho de Elvas.

Nas suas redes sociais Cláudio Ramos, mostra-se a passear por meio de um olival e descreve como é estar longe do Alentejo e o que mais sente falta da sua terra.

O apresentador que nos últimos tempos estava nas bocas dos portugueses devido ao Big Brother refere que “o Alentejo fica-nos sempre com um pedaço quando vamos e voltamos. Um bocado grande que pode ser uma espécie de carne arrancada de nós. Fica uma ferida. Quem nunca mais voltou, conta que a ferida não sara. Não cicatriza. Sentem saudades dos pés quentes na terra. Da roupa colada ao corpo transpirado. Sentem falta do silêncio e até das mulheres que vestem preto. Sentem falta do cantar das cigarras que só se calam no fim do quente.”

Cláudio Ramos conclui dizendo que “há quem diga que de tanto ir e vir, de tantos bocados ficarem, de tanta carne nos arrancarem… um dia ficamos lá. Reféns. Reféns da terra, para que deixe de ser seca e à espera que as mulheres voltem a vestir-se de cor. Se há lugar para vestir cor, será no Alentejo!”