Em janeiro, a mortalidade no Alentejo foi 1,8 vezes superior ao mesmo período de 2020

Vazio

De acordo com os dados revelados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE), entre 4 e 31 de janeiro foi na Área Metropolitana de Lisboa e no Alentejo que o número de óbitos foi muito elevado.

Segundo o INE, nas últimas quatro semanas (4 a 31 de janeiro de 2021), o número preliminar de óbitos nas regiões Área Metropolitana de Lisboa, Alentejo e Centro situou-se acima da média nacional, tendo sido 1,8 vezes superior ao do período homólogo de referência (média para o mesmo período nos anos de 2015 a 2019) no caso da Área Metropolitana de Lisboa e do Alentejo, e 1,7 vezes superior no caso da região Centro.

Nos dados apresentados o INE compara os resultados das regiões NUTS II entre março de 2020 (semanas de 2 a 29 de março) e as semanas de 4 a 31 de janeiro de 2021, com exceção da Região Autónoma dos Açores, verifica-se um aumento do rácio nas restantes regiões do país, destacando-se a Área Metropolitana de Lisboa, o Alentejo e a região Centro.

Para estas três regiões, os valores apurados para as quatro semanas terminadas a 31 de janeiro são os mais altos da série semanal iniciada em março de 2020. Tal como para o total do país, verifica-se um aumento contínuo deste rácio desde o início de janeiro nestas três regiões: para a AML e Alentejo desde as quatro semanas terminadas a 10 de janeiro e para o Centro desde as quatro semanas terminadas a 17 de janeiro.