Em Dia de Reis, Carlos Pinto de Sá destaca “a cultura de Évora” e “identidade fortíssima” (c/som e fotos)

A cidade de Évora celebrou o Dia de Reis este domingo, 6 de Janeiro, com o Canto das Janeiras, numa organização da Câmara Municipal de Évora e das Uniões das Freguesias de Évora (Centro Histórico), de Bacelo e Senhora da Saúde, da Malagueira e Horta das Figueiras e da Junta de Freguesia de Canaviais.

Dezoito grupos corais, polifónicos, instrumentais e a Banda Filarmónica “Liberalitas Julia”, fizeram parte desta iniciativa que passou pelos vários bairros da cidade património mundial e terminou com um espectáculo na Praça do Sertório, que apesar do frio juntou centenas de pessoas para assistir a este evento.

ODigital.pt falou com o Presidente da Câmara Municipal de Évora, Carlos Pinto de Sá, que começou por dizer que “Évora tem uma cultura muito significativa de cultura popular, com uma dinâmica muito acentuada de grupos populares pelos bairros, que nas suas mais diversas expressões, mostram a cultura de Évora”, explicando que “hoje temos aqui uma amostra, recuperando uma tradição, das Janeiras, que era uma tradição que Évora tinha e que estava a desaparecer, e que há cerca de três/quatro anos recuperámos essa tradição e está aqui hoje pujante, cheia de gente, a mostrar que a cultura de Évora, a cultura do Alentejo tem fortes raízes nesta terra, tem uma identidade fortíssima, que pode exactamente sustentar uma candidatura a Capital Europeia da Cultura.”

Apesar do frio que se fez sentir a Praça do Sertório encheu de muitas vozes que aqueceram “o ambiente e as freguesias por onde passaram, onde tivemos uma grande adesão popular à volta das fogueiras, à volta do petisco, e agora aqui na Praça do Sertório cheia para apreciar a nossa verdadeira cultura e o que cada um dá para que essa cultura continue viva”, acrescentou o autarca.

Neste evento participaram: Cantadeiras de S. Miguel de Machede e Cantadores os Marchantes, as Cantadeiras da ARPIFSS, o Grupo Cantares de Évora, o Coral Évora, o Coro Polifónico Eborae Mvsica, o CORUÉ – Coro da Universidade de Évora, o Grupo de Cantares Alentejanos da Casa do Povo de Nossa Senhora de Machede, o Grupo de Cantares Regionais Vozes do Alentejo, o Grupo Coral da AHRIE, o Grupo Coral Alentejo a Cantar, o Grupo Coral da A.R.P.I.F.H.F., o Grupo Coral e Instrumental Vozes dos Canaviais, o Grupo Coral de São Brás do Regedouro, o Grupo Coral do Centro de Convívio da CME, o Grupo Instrumental de Acordeões da ARPIC, a Tertúlia do Cante Alentejano em Évora, Vozes do Imaginário e a Banda Filarmónica Liberalitas Julia.

Fique de seguida com algumas imagens deste evento, numa reportagem de Hugo Calado: