“É função do serviço público, como a Seg. Social, participar na felicidade dos outros”, diz Director da Seg. Social de Évora (c/som e fotos)

A Sala de Espera do Hospital do Espírito Santo de Évora foi o palco, na tarde desta quarta-feira (12 de Dezembro), para uma actuação do Coro do Centro Distrital da Segurança Social de Évora, que se intitula de “Os Rouxinois do ISS”. Mais de duas dezenas de funcionários do centro distrital entoaram alguns temas alentejanos e outros relativos à quadra natalícia. Em declarações a’ ODgitial.pt, José Ramalho, Diretor do Centro Distrital da Segurança Social de Évora, refere que “é função do serviço público, como a Segurança Social participar na felicidade dos outros, portanto, incluindo depois na responsabilidade social do nosso centro também satisfazer os utentes que somos nós”, acrescentando que “o Coro é um espaço de diversão, de partilha, de amor, de amizade e portanto a felicidade que os nossos colegas têm no dia a dia pode ser transportada para o exterior e foi aqui uma parceria muito agradável e de muita felicidade com a Liga dos Amigos, com a própria administração e convosco.”

ODigital.pt falou também com o maestro do coro, João Canha, que nos disse que “este é um grupo de gente que se encontra no seu local de trabalho e que através da alegria partilhada da música e do cantar em conjunto vai ganhando coesão e motivação para as tarefas do quotidiano.” João Canha refere ainda que “nós trabalhamos diariamente com populações vulneráveis e de necessidade de apoio social e de verem processadas a tempo e horas as suas prestações de modo a que não falhem os seus rendimentos mensais e os seus apoios sociais.” Já sobre esta pequena actuação no Hospital, João Canha refere que “vir aqui tem todo o sentido porque é um acto de solidariedade, onde as pessoas estão numa situação de vulnerabilidade e precisam de apoio, de uma presença amiga”, adiantando-nos também que regressarão ao hospital e “nessa altura será especial, porque os Voluntários dos Amigos dos Voluntários do Hospital de Évora terá um momento de reconhecimento quer aos voluntários, quer um momento de distribuição de prendas aos doentes que aqui estão internados. (…) A nossa presença será o nosso presente”.