Dívida da empresa intermunicipal Resialentejo diminuiu 5M€ em quatro anos

ResiAlentejo

A dívida da empresa intermunicipal Resialentejo, responsável pelo tratamento e valorização de resíduos sólidos urbanos de oito concelhos do distrito de Beja, diminuiu mais de cinco milhões de euros entre 2017 e 2021, foi hoje revelado.

Em declarações à agência Lusa, o presidente cessante do conselho de administração da empresa, o autarca de Almodôvar António Bota (PS), anunciou que a dívida da Resialentejo passou de 6.995.630 euros, em 2017, para 1.881.652 euros, este ano.

“Em apenas quatro anos, passámos” para uma situação “sobremaneira mais confortável”, disse.

O autarca justificou estes números com a “utilização racional, consciente e sustentável” dos fundos disponibilizados pelo Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso dos Recursos (POSEUR).

Com as candidaturas aprovadas pelo POSEUR, entre 2017 e 2021, “foi possível aumentar significativamente o volume de investimento da empresa” e, simultaneamente, “controlar a evolução da dívida a fornecedores”, disse.

A par disso, António Bota destacou que, nos últimos quatro anos, a dívida dos municípios à empresa foi também reduzida “substancialmente”, para um valor que é atualmente “de pouco mais de 100 mil euros”.

O presidente cessante do conselho de administração da Resialentejo apontou ainda que, entre 2017 e 2021, foi possível substituir “maquinaria velha e obsoleta”, dar “início à obra de requalificação do canil/gatil” e diminuir “significativamente a dependência de prestadores de serviços externos”.

“Conseguimos alterar completamente a situação financeira e o posicionamento geral da empresa”, que é agora “mais rentável, mais sustentável, cada vez mais eficaz” e está “mais perto” de cumprir com as metas definidas pelo Plano Estratégico para os Resíduos Urbanos (PERSU) 2020.

No plano operacional, no mesmo período, António Bota destacou o “incremento” registado pela Resialentejo em várias áreas, nomeadamente “ao nível da recolha seletiva de resíduos”, que aumentou “33%”.

A Resialentejo é uma empresa intermunicipal criada pela Associação de Municípios Alentejanos para a Gestão do Ambiente (AMALGA), em 2004, sendo responsável pelo sistema de tratamento e valorização de resíduos sólidos urbanos dos concelhos de Almodôvar, Barrancos, Beja, Castro Verde, Mértola, Moura, Ourique e Serpa.

A empresa dá destino final aos resíduos indiferenciados (resíduos que não são separados) provenientes da recolha municipal e aos materiais recicláveis depositados nos ecopontos/ecocentros de uma área geográfica de 6.650 quilómetros quadrados, com cerca de 95.866 habitantes.

A sede da empresa e as principais infraestruturas para tratamento de resíduos encontram-se localizadas no Parque Ambiental do Montinho, no concelho de Beja.

A empresa dispõe ainda de cinco ecocentros, quatro estações de transferência e uma rede de 476 ecopontos.