Quinta-feira, Dezembro 8, 2022
Pub

Diretora Regional de Cultura diz que país ficou “mais rico” com ‘selo’ da UNESCO às Festas do Povo

- Publicidade -
- Publicidade -

A diretora Regional de Cultura do Alentejo, Ana Paula Amendoeira, defendeu hoje que o país ficou “mais rico” com a classificação das Festas do Povo de Campo Maior pela UNESCO, destacando o papel da população nesta conquista.

Em declarações à agência Lusa, a responsável disse querer “dar os parabéns, de coração, ao povo de Campo Maior”, a quem “se deve esta manifestação cultural fantástica e que tanto orgulha Campo Maior, o Alentejo, mas também Portugal”.

Hoje, com a atribuição do ‘selo’ da UNESCO, “o nosso país ficou mais rico”, frisou a diretora regional de Cultura do Alentejo.

As Festas do Povo de Campo Maior, no distrito de Portalegre, foram hoje classificadas como Património Cultural Imaterial da Humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO).

A classificação foi atribuída ao início desta tarde, na 16.ª reunião do Comité Intergovernamental da UNESCO para a Salvaguarda do Património Cultural Imaterial, que está a decorrer em Paris (França), até sábado.

Ana Paula Amendoeira deu também os “parabéns” a todas as entidades envolvidas no processo da candidatura, sublinhando ainda a responsabilidade que a classificação vai trazer para a salvaguarda deste património.

“Para todos nós, que estivemos envolvidos neste processo desta candidatura, é de facto muito gratificante, porque chegámos ao fim de um processo que é o princípio de outro, da relação deste património com a UNESCO e a comunidade internacional, com a sua salvaguarda, com tudo aquilo que implica este compromisso desta candidatura”, destacou.

Além do povo de Campo Maior e das entidades envolvidas na candidatura, Ana Paula Amendoeira endereçou também “um reconhecimento” ao comendador Rui Nabeiro pela conquista desde ‘selo’ da UNESCO.

“Nós devemos também a ele, durante as últimas décadas, o investimento e o apoio e a proteção que ele sempre deu” às festas, disse, frisando que “também se deve à sua ação” o facto de estas festividades não terem “fraquejado no passado”.

A candidatura à UNESCO foi promovida pela Câmara e Associação das Festas do Povo de Campo Maior (AFPCM) e a Entidade Regional de Turismo (ERT) do Alentejo e Ribatejo, com o apoio da Direção Regional de Cultura do Alentejo.

Tradição secular e realizadas pela última vez em 2015, as Festas do Povo de Campo Maior são conhecidas por apresentarem dezenas de ruas, sobretudo no centro histórico, ‘engalanadas’ com milhares de flores de papel, feitas pela população de forma voluntária.

Promovidos pela AFPCM, os festejos na vila alentejana eram já reconhecidos internacionalmente pela sua originalidade e cariz popular, com os habitantes a prepararem a ornamentação das ruas durante meses a fio.

Esta tradição, identitária de Campo Maior, tem vindo a ser transmitida de geração em geração, oralmente e de forma informal, com os mais velhos a ensinarem aos mais novos os ‘segredos’ da elaboração das flores que ornamentam os espaços públicos da vila.

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

As mais vistas

Mais notícias

Vila Viçosa: Apesar da chuva centenas de pessoas celebraram o Dia de Nossa Senhora da Conceição (c/fotos)

Na manhã desta quinta-feira, 8 de Dezembro, celebrou-se no Santuário Nacional de Nossa Senhora da Conceição, em Vila Viçosa, Eucaristia da Solenidade da Imaculada...

Assembleia Municipal de Castro Verde aprova desagregação de união de freguesias

A Assembleia Municipal de Castro Verde (Beja) aprovou, “por unanimidade e aclamação”, um parecer que defende a desagregação da União de Freguesias de Castro...