Diplomada do Politécnico de Portalegre ganha bolsa do Global Pain Council nos Estados Unidos

Veterinária com bolsa

Sandra Félix, diplomada em Enfermagem Veterinária pela Escola Superior Agrária de Elvas/Politécnico de Portalegre, é a primeira Enfermeira Veterinária a receber a bolsa do Global Pain Council da World Small Animal Veterinary Association (WSAVA), 𝗧𝗘𝗔𝗖𝗛 𝗧𝗛𝗘 𝗧𝗘𝗔𝗖𝗛𝗘𝗥, para Técnicos/Enfermeiros Veterinários que queiram tornar-se nos primeiros líderes de opinião global em controlo da dor.

Quando as restrições causadas pela pandemia abrandarem – numa primeira fase da bolsa -, Sandra irá para a North Carolina State University and Comparative Pain Research and Education Centre and Integrated Pain Management Service, onde será orientada pelo Dr. Duncan Lascelles, especialista em dor e presidente do Global Pain Council da WSAVA.

Na segunda fase da bolsa, o objetivo será o de transmitir o máximo de conhecimentos adquiridos aos Enfermeiros Veterinários em Portugal para assim contribuir para a evolução da profissão no seu país de origem.

Sandra Félix licenciou-se em Enfermagem Veterinária na Escola Superior Agrária de Elvas do Politécnico de Portalegre em 2009. O seu trabalho final da licenciatura versou sobre o tema controlo da dor e cuidados paliativos em pequenos animais. Iniciou o seu percurso a trabalhar numa clínica de pequenos animais onde trabalhou durante um ano, tendo posteriormente sido admitida no Hospital Escolar da Faculdade de Medicina Veterinária de Lisboa. Decorridos cinco anos, mudou-se para a Alemanha para trabalhar num hospital de referência onde o foco do seu trabalho são pacientes internados que necessitam de cuidados intensivos.

Em 2019 terminou o Certificate of Veterinary Nursing in Emergency and Critical Care (CertVNECC) da Vets Now na Escócia.

Para Sandra Félix, a atribuição desta bolsa tem um duplo significado: “ter a oportunidade de estudar e desenvolver mais competências na sua área de eleição com alguns dos mais conceituados veterinários especializados em controlo da dor e simultaneamente poder partilhar esses mesmos conhecimentos com os seus pares, contribuindo dessa forma para o melhor entendimento dos mecanismos inerentes ao controlo da dor.”

Fonte: Politécnico de Portalegre