Sexta-feira, Outubro 7, 2022
Pub

Deputados do PS reuniram com o Governo para debater o estado da educação no Alentejo Litoral

- Publicidade -
- Publicidade -

Os Deputados do Partido Socialista eleitos pelo círculo eleitoral de Setúbal, Eurídice Pereira, Filipe Pacheco, André Pinotes Batista, Sofia Araújo, Fernando José, Clarisse Campos e Ivan Gonçalves, reuniram na passada segunda-feira com a secretária de Estado da educação, Inês Ramires, com o Diretor-Geral da DEGEstE, João Gonçalves e com a diretora de Serviços da Região do Alentejo, Maria José Charrua.

Esta reunião em formato digital, que incidiu sobre a região do Alentejo Litoral, contou ainda com as presenças do vice-presidente da Câmara Municipal de Sines, Fernando Ramos e de presidentes e representantes das estruturas concelhias de Grândola e Santiago do Cacém, Pedro Ruas e Artur Ceia, respetivamente.

Da agenda fez parte a situação de pandemia que se atravessa e a resposta do Ministério da Educação a toda a problemática criada nesta conjuntura.

De acordo com a informação disponibilizada, sobre este assunto, a secretária de Estado realçou “o trabalho da comunidade escolar e, em dia de reabertura, a importante afirmação das escolas como locais seguros, quer através do rigoroso cumprimento das regras, quer com a intensificação das testagens para pessoal docente e não docente, bem como com o início da vacinação, assim que tal for possível.”

Destacou igualmente “a enorme tarefa de organização que implicou o arranque deste ano letivo, embora já com experiência acumulada do ano anterior.” Falou da muito “significativa criação de uma rede de contactos mais fluida, que envolve vários parceiros e que permitiu prestar todo o apoio às crianças e jovens e às suas famílias nestes últimos meses e resolver mais rapidamente os problemas que possam surgir a cada momento.”

A Governante frisou também “o esforço que tem sido empreendido com o reforço do pessoal não docente na generalidade das escolas, fazendo uso de uma bolsa de recrutamento ativa e que tem suprido as necessidades.”

A eliminação do amianto nos edifícios escolares foi outro tópico abordado, já que os deputados questionaram sobre os dois estabelecimentos de ensino que, nesta região, ainda não têm essa situação resolvida: as escolas Secundária de Grândola e Escola Básica professor Arménio Lança de Alvalade Sado.

Quanto a este tema, Inês Ramires referiu que, “embora o Governo tenha aprovado, no ano passado, um programa nacional destinado a erradicar o amianto, com um investimento de 60 milhões de euros e abrangendo cerca de 600 escolas, é necessário que os municípios envolvidos se candidatem a essa intervenção, assinando um protocolo com o Estado, o que ainda não aconteceu com Grândola e Santiago do Cacém.”

- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -
- Publicidade -

As mais vistas

Mais notícias

Évora: Ritmos de Cabo Verde fizeram lotar Palácio D. Manuel (c/fotos)

O Palácio D. Manuel, em Évora, acolheu, esta quinta-feira, mais um concerto do Festival Imaterial, tendo contado com lotação esgotada. Na noite desta quinta-feira, esteve...

Baixo Alentejo: Região participa em projeto de transição para a neutralidade climática

A Comunidade Intermunicipal do Baixo Alentejo (CIMBAL) foi uma das 60 entidades selecionadas para integrar um projeto europeu que pretende “moldar conjuntamente a transição...