Deputados do PS reuniram com o Governo para debater o estado da educação no Alentejo Litoral

Deputados do PS Setubal

Os Deputados do Partido Socialista eleitos pelo círculo eleitoral de Setúbal, Eurídice Pereira, Filipe Pacheco, André Pinotes Batista, Sofia Araújo, Fernando José, Clarisse Campos e Ivan Gonçalves, reuniram na passada segunda-feira com a secretária de Estado da educação, Inês Ramires, com o Diretor-Geral da DEGEstE, João Gonçalves e com a diretora de Serviços da Região do Alentejo, Maria José Charrua.

Esta reunião em formato digital, que incidiu sobre a região do Alentejo Litoral, contou ainda com as presenças do vice-presidente da Câmara Municipal de Sines, Fernando Ramos e de presidentes e representantes das estruturas concelhias de Grândola e Santiago do Cacém, Pedro Ruas e Artur Ceia, respetivamente.

Da agenda fez parte a situação de pandemia que se atravessa e a resposta do Ministério da Educação a toda a problemática criada nesta conjuntura.

De acordo com a informação disponibilizada, sobre este assunto, a secretária de Estado realçou “o trabalho da comunidade escolar e, em dia de reabertura, a importante afirmação das escolas como locais seguros, quer através do rigoroso cumprimento das regras, quer com a intensificação das testagens para pessoal docente e não docente, bem como com o início da vacinação, assim que tal for possível.”

Destacou igualmente “a enorme tarefa de organização que implicou o arranque deste ano letivo, embora já com experiência acumulada do ano anterior.” Falou da muito “significativa criação de uma rede de contactos mais fluida, que envolve vários parceiros e que permitiu prestar todo o apoio às crianças e jovens e às suas famílias nestes últimos meses e resolver mais rapidamente os problemas que possam surgir a cada momento.”

A Governante frisou também “o esforço que tem sido empreendido com o reforço do pessoal não docente na generalidade das escolas, fazendo uso de uma bolsa de recrutamento ativa e que tem suprido as necessidades.”

A eliminação do amianto nos edifícios escolares foi outro tópico abordado, já que os deputados questionaram sobre os dois estabelecimentos de ensino que, nesta região, ainda não têm essa situação resolvida: as escolas Secundária de Grândola e Escola Básica professor Arménio Lança de Alvalade Sado.

Quanto a este tema, Inês Ramires referiu que, “embora o Governo tenha aprovado, no ano passado, um programa nacional destinado a erradicar o amianto, com um investimento de 60 milhões de euros e abrangendo cerca de 600 escolas, é necessário que os municípios envolvidos se candidatem a essa intervenção, assinando um protocolo com o Estado, o que ainda não aconteceu com Grândola e Santiago do Cacém.”