DECO: A pandeiam tornou a perda de rendimentos como a principal causa das dificuldades das famílias

Deco

Desde 2000 a 2019 o desemprego foi a causa principal de sobre-endividamento das famílias portuguesas, seguida pela deterioração das condições laborais. Em 2019, a situação inverteu-se e as condições de trabalho empurraram mais portugueses para o sobre-endividamento, adiantou recentemente a DECO.

No inicio deste ano a DECO preconizava a deterioração das condições laborais como a principal causa, no entanto, com a chegada da Covid-19 tudo mudou e a principal causa das dificuldades das famílias torna-se a perda de rendimentos (situações de Layoff, perda de rendimentos informais, não pagamento de salários) que correspondem 27,3%, seguindo-se o desemprego – 23,5%, a precariedade – 15,5% e os negócios mal sucedidos – 2,6%.

Todas estas causas somadas totalizam cerca de 70% das causas das situações de grandes dificuldades financeiras ou endividamento, sendo responsáveis pela diminuição dos rendimentos das 3.600 famílias que nos pediram ajuda, entre 18 de Março e 11 de maio de 2020.

A estas famílias, a DECO, prestou aconselhamento e orientação financeira sobre algumas das medidas de protecção decretadas para atenuar os efeitos da pandemia do Covid-19, (42%), reestruturação de responsabilidade de crédito (25,1%), regime excepcional da penhora das pensões e salários (6,3%), a cobrança e recuperação de crédito (2,6%), apoios sociais (1,2%).

Durante este período deram entrada 234 processos de intervenção de famílias confrontadas com a perda de rendimentos (57,1%), mas que que ainda estão no mercado de trabalho (82%). São famílias que apresentam uma taxa de esforço de 71,4%.

O Gabinete de Protecção Financeira está disponível para ecfetuar a análise e diagnóstico da situação financeira do agregado familiar e ajudar na construção de um plano de pagamentos, sempre que tal seja viável e prestar apoio na renegociação das dívidas, estabelecendo contactos com os credores.

Para solicitar o apoio do Gabinete de Protecção da DECO, contacte: 213710238/ gas@deco.pt

Fonte:DECO