De janeiro a outubro, INEM socorreu cerca de 4 mil casos de AVC

INEM AVC

Assinalou-se esta quarta-feira, 28 de outubro, o Dia Mundial do AVC. Um dia em que o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) fez um pequeno balanço da sua atividade no socorro a este problema.

Em 2020, o INEM encaminhou por dia, em média, 13 casos de Acidente Vascular Cerebral para a Via Verde do AVC. Uma análise entre janeiro a 28 de outubro mostra que, no total, se registaram 3.982 casos de AVC identificados e devidamente encaminhados para as unidades hospitalares.

As estatísticas demonstram que mais de 42% dos casos de AVC ocorreram nos distritos do Porto e Lisboa.

O Hospital de Braga (300), o Hospital de São João (275), o Hospital de Santa Maria (274), o Hospital de São José (245) e o Hospital de Penafiel (229) foram as unidades hospitalares que receberam o maior número de casos de AVC encaminhados pelo INEM.

O INEM refere alguns dos sinais e sintomas que podem indicar a ocorrência de um AVC, como é o caso da falta de força num braço, boca ao lado ou dificuldade em falar.

Se estes sinais forem reconhecidos, então deve ligar o Número Europeu de Emergência – 112, pois a rápida intervenção médica especializada é vital para que o sucesso do tratamento e posterior recuperação do doente.

Considerando o contexto atual de pandemia pelo novo coronavírus, importa reforçar a necessidade de os cidadãos continuarem a ligar 112 sempre que se verifique uma situação de doença súbita ou acidente.

A colaboração com os profissionais do Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) do INEM é fundamental para o despiste de emergências médica, como é o caso do AVC.

O AVC continua a ser uma das principais causas de morte em Portugal, sendo também a principal causa de morbilidade e de potenciais anos de vida perdidos no conjunto das doenças cardiovasculares. As primeiras horas após o início dos sintomas de AVC são essenciais para o socorro da vítima, pois, é esta a janela temporal que garante a eficácia dos principais tratamentos.

O AVC é um défice neurológico súbito, motivado por isquemia (deficiência de irrigação sanguínea) ou hemorragia no cérebro. Para prevenir a doença, devem ser adotados hábitos de vida saudáveis, evitar-se o tabaco e a vida sedentária e ter especial atenção a doenças como a hipertensão, diabetes ou arritmias cardíacas.