Cuba: Prémio Literário Fialho d’Almeida já tem vencedores

Prémio Literário Fialho d’Almeida

A Câmara Municipal de Cuba, a Direção Regional de Cultura do Alentejo e a Associação Cultural Fialho de Almeida divulgaram, esta terça-feira, o vencedor da primeira edição do Prémio Literário Fialho d’Almeida.

O anúncio do vencedor do Prémio, bem como da Menção Honrosa atribuída pelo júri, aconteceu numa sessão pública que decorreu no Museu Literário Casa Fialho d’Almeida.

Da autoria de António José Costa Neves, “Contos da Serra e da Planície”, na modalidade de conto, é o título da obra vencedora do Prémio Fialho d’Almeida em 2020. O autor, que habitualmente usa o pseudónimo literário E. S. Tagino, é natural de Grândola e reside em Almada há mais de quarenta anos. É licenciado em História, pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e foi Bolseiro da Câmara Municipal de Grândola e da Fundação Calouste Gulbenkian. As suas obras têm-lhe proporcionado diversos prémios literários, nomeadamente: Prémio Literário Cidade de Almada – 2006 e 2020; Prémio Revelação Manuel Teixeira Gomes – 2006; Prémio Literário Paul Harris –2007; Prémio de Poesia e Ficção de Almada (Ficção) – 2008 e (Poesia) 2016; Prémio Glória Marreiros – 2014 (Menção Honrosa) e Prémio Literário Joaquim Mestre – 2017. Já este ano, as duas primeiras coletâneas de contos que escreveu, “Contos da Serra e da Planície” e “Alma Alentejana e Outras Histórias”, venceram os Prémios Literários Alves Redol – 2019 e Fialho de Almeida – 2020, a primeira; e o Prémio Literário Miguel Torga/Cidade de Coimbra – 2020, a segunda.

A par da obra vencedora, o júri do Prémio Literário Fialho d’Almeida deliberou ainda atribuir uma Menção Honrosa ao romance “As olvidadas léguas da raia”, de Tiago Passão Salgueiro”. Nascido em Évora em 1975, é licenciado em Antropologia pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa e Mestre em Museologia pela Universidade de Évora. Desempenha as funções de Técnico Superior no Museu-Biblioteca da Casa de Bragança desde 2006 e é autor de diversas obras, de onde se destacam os títulos “Do Japão para o Alentejo – A Embaixada Japonesa Tenshö em Vila Viçosa no ano de 1584”, editada pela Chiado Editora em 2012, com o apoio da Câmara Municipal de Vila Viçosa; “Fortificações Quinhentistas de Vila Viçosa”, pela Fundação da Casa de Bragança; e o romance “A Dúvida, em sentimento transformada” pela Chiado Editora, ambas no ano de 2014.

Sobre o Prémio Literário Fialho d’Almeida:

Criado em Junho de 2019, fruto de uma parceria entre o Município de Cuba, a Direção Regional de Cultural do Alentejo e a Associação Cultural Fialho de Almeida, este Prémio Literário foi instituído em especial homenagem ao escritor. Tem por objetivo fomentar o gosto pela leitura e pela escrita, promovendo, defendendo e valorizando a Língua Portuguesa, ao mesmo tempo que se destina também à promoção da criação literária. Foram aceites a concurso obras na modalidade de coletânea de contos e romance, tendo sido privilegiadas as temáticas diretamente relacionadas com a região Alentejo.

Nesta primeira edição foram submetidas 20 obras, das quais foram selecionadas 13 finalistas. Para além da obra vencedora, o júri determinou ainda a entrega de uma menção honrosa. Ao vencedor será entregue um prémio no valor pecuniário de 3 mil euros e a sua será publicada numa editora de reconhecido mérito, sob coordenação da Biblioteca Municipal de Cuba e da Associação Cultural Fialho de Almeida, constando na edição a referência ao prémio.