Cruz Vermelha de Portalegre quer construir Centro de Apoio à Pessoa com Demência

Obras

A delegação de Portalegre da Cruz Vermelha pretende construir um Centro Integrado de Apoio à Pessoa com Demência, num investimento que ascende aos cinco milhões de euros, podendo criar mais de 60 postos de trabalho.

“O projeto está entregue na Câmara de Portalegre desde o dia 02 de agosto, já foi cedido um terreno [pelo município], mas ainda não temos a escritura feita”, explicou hoje à agência Lusa o presidente da delegação da Cruz Vermelha, Nuno Borda d´Água.

De acordo com o responsável, este projeto surge na sequência de “duas necessidades”, a primeira delas conseguir “agregar toda a estrutura” da Cruz Vermelha de Portalegre “no mesmo local”.

Quanto à segunda, passa eliminar uma “lacuna” existente no Alentejo, ao avançar com a construção do Centro Integrado de Apoio à Pessoa com Demência, nomeadamente na área da doença de Alzheimer.

O Centro Integrado de Apoio à Pessoa com Demência vai contar com “58 camas” e poderá criar “mais de 40 postos de trabalho”, indicou o presidente da delegação de Portalegre da Cruz Vermelha.

O mesmo centro integrará ainda uma unidade de dia de Neuro Intervenção, uma unidade residencial, serviço de apoio domiciliário especializado, uma unidade de apoio ao cuidador e um centro de formação.

Segundo Nuno Borda d´Água, que indicou que a delegação da Cruz Vermelha tem atualmente “15 postos de trabalho”, a valência de apoio domiciliário especializado pretende dar resposta a “30 utentes”.

Nesta área devem ser criados mais “20 a 25 postos de trabalho”.

Sem verbas para poder desenvolver de imediato o projeto, o presidente da delegação da Cruz Vermelha de Portalegre espera que o Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) possa ser uma “ferramenta fundamental” para que este projeto se concretize.

“Não temos” fundos, pelo que “estou a pensar no PRR, que é uma ferramenta fundamental para esta estrutura”, disse.