Covid-19: Universidade de Évora com adesão a testes de 90% mas alunos falam em diminuição

Universidade de Évora

A Universidade de Évora regista uma taxa de adesão “elevada” de alunos convocados para a realização de testes à covid-19, mas a associação académica atribui a descida dos diagnósticos ao facto de os estudantes agora permanecerem no meio universitário.

No que respeita à aceitação ou rejeição dos estudantes” para realizar teste, “não registamos alterações significativas”, estando o número de alunos testados “em conformidade com o estabelecido”, indicou hoje à agência Lusa uma fonte da Universidade de Évora (UÉ).

Segundo a mesma fonte, na “chamada semanal” para uma “amostra de alunos” realizar teste à covid-19, feita pela academia através de correio eletrónico, “a adesão é elevada” e ronda “sempre percentagens nunca abaixo dos 90%”.

Já o presidente da Associação Académica da Universidade de Évora (AAUE), Henrique Gil, disse à Lusa que o número de testes à covid-19 realizados na academia tem vindo a cair nas últimas semanas.

Na semana de 19 a 23 de abril, que foi a que teve mais testes”, devido ao reinício das aulas presenciais na UÉ, “1.699 alunos foram testados”, enquanto que “na semana de 17 a 21 deste mês foram apenas 232”, precisou.

Henrique Gil assegurou que “não há recusa” dos alunos para realizar o teste à covid-19, considerando que a diminuição dos diagnósticos está relacionada com a “comodidade das pessoas”.

Os estudantes no regresso das aulas presenciais fizeram o teste, mas, como não se vão embora para casa e ficam no mesmo meio, não têm estado a fazer teste”, exemplificou.

O jornal Público noticiou, na terça-feira, que na Universidade de Lisboa a adesão dos estudantes convocados à testagem passou de dois terços para um terço e que no Politécnico de Setúbal a taxa passou de 70% para os 15%.

Um total de 3.125 estudantes da universidade já realizou teste à covid-19, desde o passado mês de abril, de acordo com a fonte da instituição alentejana.

Nas primeiras semanas” desse mês, sublinhou, foi efetuado “um maior número de testes”, devido ao regresso dos alunos às aulas presenciais, mas, desde o final de abril, “são testados em média 270 estudantes por semana, sobretudo os das licenciaturas”.

Do total de 3.125 testes realizados desde abril na academia, “apenas um foi positivo”, assinalou a mesma fonte, salientando que este caso de covid-19 detetado não teve “qualquer consequência ao nível da transmissão”.

A fonte da UÉ realçou ainda que “muitos estudantes são testados nas instituições onde se encontram a estagiar”, como os alunos dos cursos de enfermagem, educação e outros, o que “faz subir o número de estudantes testados”.