Covid-19: “Tranquilidade responsável” diz autarca de Reguengos de Monsaraz, que confirma 3 casos no concelho

“Tranquilidade responsável”, é assim que o Presidente da Câmara Municipal de Reguengos de Monsaraz caracteriza todo o trabalho realizado no concelho, no combate ao Covid-19.

É através das redes sociais, que José Calixto revela que, no concelho de Reguengos de Monsaraz “até ao final do dia de ontem (27 de Março), registamos oficialmente três casos positivos que se encontram nas suas habitações em isolamento obrigatório e devidamente acompanhados pelos médicos de saúde pública.”

Apesar dos três casos confirmados, o autarca afirma que “devemos encarar esta evolução como totalmente natural, face à gravidade da pandemia COVID-19.”

O edil refere que “esta é uma luta que venceremos, tornando-nos colectivamente ainda mais fortes. Foi com essa mesma convicção que vivemos mais um dia intenso em várias frentes”, enumerando assim o trabalho feito nas últimas horas:

  • – Deu-se continuidade à desinfecção de espaços públicos e equipamentos colectivos do nosso concelho;
  • – Foram colocados dispensadores de álcool gel nos locais onde estão instalados os “multibancos” em todo o concelho;
  • – todos os serviços municipais continuaram a prestar normalmente os serviços previstos neste estado de emergência;
  • – com a colaboração da GNR, foram igualmente desenvolvidas acções concretas para dissuasão de comportamentos irresponsáveis de uma minoria, bem como o combate a boatos e desinformação irresponsável e criminosa;
  • – Houve uma colaboração intensamente nos processos de aquisição de mais ventiladores e EPI’s para o Hospital do Espírito Santo de Évora, cuidados de saúde primários, Bombeiros Voluntários, IPSS’s e Protecção Civil, no âmbito da CIMAC e de outros mecenas da Região;

  • – em coordenação com a Federação de Bombeiros do Distrito de Évora foram efectivados alguns apoios de extrema urgência para todas as corporações do Alentejo Central;
  • – Foram tomadas as decisões necessárias para que a ADRAL/EVORATECH continue a produção de viseiras para utilização por profissionais de saúde, bombeiros voluntários e em IPSS’s (já foram produzidas quase 900 viseiras);