Covid-19: Número de pessoas recuperadas já ultrapassou o número de casos activos, em Reguengos de Monsaraz

Casos de Covid-19

A Autarquia de Reguengos de Monsaraz voltou, hoje, a actualizar a situação epidemiológica do concelho.

De acordo com a informação disponibilizada, o número de casos activos de Covid-19 continua a baixar no concelho, registando-se neste momento 76 casos activos e 77 pessoas recuperadas.

Nas ultimas horas registaram-se duas pessoas recuperadas, sendo 1 utente da ERPI da Fundação Maria Inácia Vogado Perdigão Silva (FMIVPS) e 1 profissional da FMIVPS.

De destacar que no dia de ontem, decorreu com toda a tranquilidade e muita emoção o regresso dos primeiros utentes curados à ERPI da FMIVPS, após a decisão da Autoridade de Saúde Pública.

Assim, desde o inicio da pandemia o concelho de Reguengos de Monsaraz já registou 170 casos de Covid-19 e 17 óbitos, sendo que actualmente há registo de 76 casos activos e 77 pessoas recuperadas.

Dos 76 casos ainda activos, relacionados com o último surto, registam-se 50 na FMIVPS e 26 na comunidade (29 curados e 1 óbito). Estes números verificam-se num universo de cerca de 2.280 testes com resultado conhecido até ao dia de ontem, no qual foram conhecidos resultados de aproximadamente 20 testes. Estão planeados para hoje e amanhã mais cerca de 30 testes.

Relativamente ao foco infeccioso verificado no Lar da FMIVPS, registavam-se ao dia de ontem 11 casos positivos activos (14 casos curados e 1 óbito) a trabalhadores e 39 utentes (26 curados e 15 óbitos).

Relativamente ao controlo da propagação na comunidade não se registou pelo 12º dia consecutivo qualquer caso positivo. A autoridade de Saúde Pública considera que o surto está em resolução, caso não existam novas cadeias desconhecidas (tecnicamente será considerado extinto depois de 28 dias sem novos casos positivos COVID relacionados com as cadeias conhecidas.

Encontram-se neste momento 7 utentes do Lar no HESE, 2 dos quais em cuidados intensivos. Dos casos de infecção na comunidade regista-se um caso internado em cuidados intensivos e um em enfermaria.  De entre os profissionais positivos regista-se que todos os que ainda não estão curados encontram-se a recuperar nas suas residências.