Covid-19: Número de óbitos no Alentejo cresceu 339%

Cuidados intensivos

O Norte é a região do país com mais casos de infeções com o novo coonavírus, seguido de perto de Lisboa e Vale do Tejo, mas todas as regiões apresentam crescimentos percentuais significativos desde o início do ano.

O aumento do número de infeções e de óbitos por covid-19 registado ao longo deste ano foi alavancado pela vaga que atingiu todo o território continental em janeiro, fevereiro e parte de março, voltando, nas últimas semanas, a verificar-se um crescimento, mais evidente em Lisboa e Vale do Tejo.

Já o Alentejo começou o ano com 11.431 casos positivos, mas subiu 169% para os 30.817 registados hoje, muito devido à situação de janeiro e fevereiro, altura em que se verificou o maior número de infeções na região.

Percentualmente, nesta região, considerada com uma das populações mais idosas do país, os óbitos cresceram 339%, passando dos 221 a 1 de janeiro para os atuais 972, que se mantêm há várias semanas.

Tendo em conta que a vacinação arrancou pelas pessoas mais idosas, consideradas de maior risco, nesta região cerca de 34% da população já tem a vacinação completa, a percentagem mais elevada das várias regiões do país.