Covid-19: Governante alerta, que as máscaras, as luvas ou os lenços não são para deitar no ecoponto (c/video)

A Secretária de Estado do Ambiente, Inês dos Santos Costa, gravou, uma mensagem onde apela a todos os cidadãos para que cumpram as determinações impostas neste período de Estado de Emergência e tenham atenção especial ao uso final das máscaras, luvas e lenços.

A Secretária de Estado do Ambiente lembra que no combate ao COVID-19, há gestos que todos devemos cumprir para ajudar quem está na linha da frente desse combate, em especial os trabalhadores que recolhem os resíduos urbanos. Inês Costa Santos apela a que ninguém deite as máscaras, as luvas ou os lenços para reciclagem no ecoponto. O seu lugar é nos contentores de lixo comum.

Recordando a importância da limpeza urbana, a Secretária de Estado apela à solidariedade para com os trabalhadores que todos os dias garantem a recolha dos resíduos e que, agora mais do que nunca, devem também ser merecedores da atenção de todos. É tempo de reforçar o respeito e o apoio a estes profissionais que contribuem para garantir que continuamos a ter ruas e cidades mais limpas.

Em tempos de emergência, diz Inês Costa Santos, é importante que todos, com o seu comportamento, não coloquem em causa todo este esforço e dedicação, garantindo um serviço essencial que, apesar de muitas vezes invisível, a sua ausência é sempre notada.

Há pequenos gestos que todos devemos cumprir:

  • Reduza o desperdício que produz em casa. Quanto menos resíduos, menor será a sobrecarga na recolha;
  • Se existem casos de contaminação ou suspeita em sua casa coloque no lixo comum todos os resíduos – mas garanta que estes são colocados em dois sacos de lixo, fechados e com enchimento até dois terços da sua capacidade;
  • Se não há ninguém infetado em sua casa continue a utilizar os meios de deposição ao seu dispor: o contentor do lixo para o lixo comum, e o ecoponto para as embalagens, vidro e papel/cartão.
  • Deposite o lixo respeitando o horário de recolha e a capacidade dos contentores, permitindo uma melhor gestão das equipas, com mais eficácia e melhor saúde para todos;
  • Evite a colocação de monstros na via pública – móveis, sofás, colchões. Nesta fase de emergência, os nossos serviços de limpeza têm de estar concentrados no essencial.