Coruche: Ministro Vieira da Silva destacou a importância da indústria da cortiça no sector do trabalho, na inauguração da FICOR (c/som)

Foi inaugurada esta quinta-feira, 30 de Maio, mais uma edição da FICOR – Feira Internacional da Cortiça, em Coruche.

Um certame que pretende relançar a cortiça como alavanca da economia nacional, reforçar a liderança internacional de Portugal no sector e afirmar, ainda mais, Coruche como a capital mundial da cortiça e através dessa afirmação internacional, promover a marca Coruche, nas vertentes turística e económica.

Presente nesta inauguração esteve o Ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Vieira da Silva, que em declarações à imprensa, começou por dizer que “Coruche concentra um conjunto de valências, instituições e empresas, que têm a cortiça no seu centro. Coruche é de certa forma o centro da cortiça, uma importância na produção, na questão do sobrado mas também na indústria”, acrescentando que este sector da cortiça “tem um enorme significado para a economia do país, somos lideres mundiais, temos fortíssima presença em termos de exportação, uma exportação que tem grande valor acrescentado já que parte desse valor fica no nosso país e nas comunidades. E sendo um produto fortemente tradicional, faz parte do nosso ecossistema, é uma fileira muito aberta à inovação.”

Vieira da Silva, destacou ainda que “Coruche que tem centenas de postos de trabalho ligados ao sector. Mas a importância do sector no trabalho vai muito além dos números. Porque se prende com uma questão hoje muito discutida que é o futuro do trabalho. Quais serão as actividades que serão sustentáveis no futuro com a inovação, tecnologia e por aí fora.”