Centro de Biotecnologia Agrícola e Agroalimentar do Alentejo desenvolve projeto de microenxertia in vitro de amendoeiras

Amendoeira

O Centro de Biotecnologia Agrícola e Agroalimentar do Alentejo (CEBAL) iniciou, recentemente, um novo projeto intitulado “Inov-Amendo-AL: Microenxertia in vitro de amendoeiras selecionadas para a promoção do amendoal no Alentejo”.

Com um financiamento superior a 125 mil euros, o projeto Inov-Amendo-AL procura “potenciar a competitividade do setor dos frutos secos no Alentejo, nomeadamente da amêndoa, através da introdução no mercado de plantas de amendoeira sadias e de valor acrescentado, obtidas com o auxílio de ferramentas biotecnológicas inovadoras”, explica o CEBAL.

Ainda de acordo com a informação disponibilizada pelo CEBAL, o projeto pretende “promover a divulgação do conhecimento e da potencialidade da técnica de multiplicação – microenxertia in vitro – de amendoeiras; auxiliar os produtores na seleção de material vegetal mais adequado; potenciar o património genético português, com promoção da diferenciação do produto; e garantir material vegetal em bom estado fitossanitário na região, proporcionando aos atores da fileira a renovação de pomares mais produtivos e sadios com plantas de valor agronómico acrescentado.”

Iniciado em outubro de 2020 e com término previsto para Setembro 2022, a estratégia de transferência de conhecimento e tecnologia do projeto está dividida nas seguintes vertentes:

  1. ações de disseminação e divulgação junto do tecido produtivo e empresarial;
  2. validação da tecnologia de micropropagação e da microenxertia in vitro;
  3. validação do estado fitossanitário das plantas, com despiste da presença de patogénios por técnicas moleculares; e
  4. divulgação e demonstração dos resultados do projeto junto dos agentes económicos da região e da comunidade científica.

O projeto “Inov-Amendo-AL: Microenxertia in vitro de amendoeiras de valor acrescentado para a promoção do amendoal no Alentejo” (ALT20-03-0246-FEDER-000068) é cofinanciado pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) através do Programa Operacional Regional do Alentejo – Alentejo 2020, no âmbito do Sistema de Apoio a Ações Coletivas – Transferência do Conhecimento Científico e Tecnológico – Domínio da Competitividade e Internacionalização