Centrais fotovoltaicas flutuantes são “uma tecnologia madura”, diz Ministro sobre projecto da EDP no Alqueva

Conforme ODigital.pt já noticiou, o Alqueva irá receber um projecto da EDP que prevê a colocação de uma central fotovoltaica flutuante.

O projecto de 3,5 milhões de euros foi apresentado, em Penacova, no inicio desta semana com a presença do Ministro do Ambiente e Transição Energética, Matos Fernandes.

O Ministro referiu que as centrais fotovoltaicas flutuantes são “uma tecnologia madura”, já testada na barragem do Alto Rabagão, em Montalegre, e “com uma fortíssima componente portuguesa”, que permitirá, como a generalidade das energias renováveis, “um preço menor na produção da própria electricidade”.

O Ministro afirmou ainda que “produzir energia a partir de fonte renovável é muito mais barato do que a partir de combustível”, o que trará vantagens no preço final “sobretudo às famílias e às empresas”.

O Ministro disse também que os planos de ordenamento das albufeiras, que estão em fase de revisão, vão reservar espaços para instalar novas centrais fotovoltaicas flutuantes.

A EDP planeia instalar 11 mil painéis fotovoltaicos na albufeira do Alqueva, no Alentejo, com uma produção estimada de 6 000 MegaWatts, replicando em escala muito maior o projecto do Alto Rabagão, no rio Tâmega, que tem 840 painéis e está a funcionar com sucesso desde 2016.

A central fotovoltaica flutuante do Alqueva servirá ainda para testar a acoplagem aos painéis solares baterias de iões de lítio para acumular energia que será utilizada quando não há sol.

E também para testar o uso de energia solar para alimentar a bombagem de água para o sistema do Alqueva.