Câmara de Serpa cria Casa do Rio para mostrar a relação histórica entre a população e o Rio Guadiana

Obras

A Câmara Municipal de Serpa, no distrito de Beja, revelou esta semana que foi aprovado o projeto da futura Casa do Rio.

A Casa do Rio integra a rede museológica do concelho de Serpa que está a ser criada e da qual fazem ainda parte a Casa das Artes, em Vila Verde de Ficalho, a Taberna dos Camponeses, em Pias, a Casa da Resistência, em Vale de Vargo, e o Casão do Cante, que irá nascer em Vila Nova de São Bento.

Além destes cinco novos espaços, cujas empreitadas devem arrancar a curto prazo, a candidatura inclui ainda a Casa da Memória, em Pias, e o Lagar de Azeite, em Vila Nova de São Bento.

Segundo a Autarquia, em Brinches, a candidatura apresentada ao Programa de Desenvolvimento Rural 2020, prevê que a relação histórica entre a população e o Rio Guadiana seja o elemento central de um local onde este património natural e histórico, bem como a sua biodiversidade, sejam exponenciados com novas atratividades, ligadas à promoção turística e dos produtos locais e gastronómicos. O Rio Guadiana, enquanto elemento identitário ligado ao modo de vida, aos hábitos, às tradições e à cultura da freguesia de Brinches e a Casa do Rio, irá fazer essa ponte.

O projeto da Casa do Rio, resulta de uma parceria com a Freguesia de Brinches, prevê a recuperação de um edifício histórico, o da Sociedade 1.º de Junho Brinchense, que alberga, há décadas, associações culturais e desportivas da localidade, e funciona como centro de recreação e lazer. A Casa do Rio ficará instalada neste espaço, e para o efeito, numa primeira fase, será realizada a requalificação e adaptação do edifício, no valor de cerca de 160 mil euros, criando um espaço dotado de uma zona expositiva e de uma cozinha, para confecionar refeições e dinamizar atividades de demostração e apresentação de produtos endógenos, bem como a realização de oficinas de cozinha. Na segunda fase será produzido o conteúdo museográfico.

Esta intervenção da Casa do Rio é complementada – e complementar – a outras intervenções e projetos, nomeadamente o Serpa Museu Aberto, que é o plano estratégico para a rede museográfica do concelho de Serpa, que tem como objetivo a requalificação dos núcleos existentes e a criação de novos núcleos museológicos e de centros interpretativos nas principais localidades do concelho, que deverão funcionar de forma integrada e numa lógica de complementaridade.