Câmara de Arraiolos adquire histórico palácio no Vimieiro, onde existem vestígios quinhentistas

Palácio no Vimieiro

A Câmara Municipal de Arraiolos deliberou, recentemente, adquirir o  “Palácio dos Condes do Vimieiro” ou “Quinta e Palácio dos Condes do Vimieiro”, imóvel homologado como de “IM – Interesse Municipal”.

O atual palácio (construído entre 1770 e 1790, por D. Sancho de Faro e Sousa (1735-1790), governador da praça de Estremoz, 11.º senhor e 4.º conde do Vimieiro, que aqui nasceu e viveu durante largos anos) conserva ainda vestígios arquitetónicos do paço quinhentista e foi objeto de doação à Santa Casa da Misericórdia no último quartel do século XX.

Trata-se de um edifício com grande valor histórico e cultural, “por força das suas características e marcas arquitetónicas”, incluindo o seu jardim que evidencia a sensibilidade da poetisa D. Teresa de Melo Breyner, mulher de D. Sancho de Faro e Sousa.

No referido jardim destaca-se a “Fonte-obelisco” construída em 1774, cujo desenho neoclássico se deve atribuir ao engenheiro francês Guilherme Luís Antoine de Valleré .

Sílvia Pinto, no final da reunião referiu que a “aquisição representa um investimento de  116.000,00€” sendo que a decisão tomada “é fundamental para a preservação deste património Vimieirense”, relembrando que “sobretudo a posterior reabilitação e requalificação, para além de consubstanciarem a proteção e salvaguarda de um património material irrepetível e de elevado valor histórico, constituirão também um importante fator de dinamização sócio-cultural e de atratividade, não apenas daquela freguesia, mas antes de todo o concelho, com toda a cadeia de ganhos que lhe está inerente.”