Borba: PS, PSD e CDU unem-se para presidir à Assembleia Municipal que “não se demitirá das suas responsabilidades” (c/fotos)

Assembleia Municipal de Borba

Decorreu, este sábado, no Pavilhão de Eventos da cidade de Borba a Tomada de Posse dos Órgãos Autárquicos do concelho de Borba, nomeadamente Câmara Municipal e Assembleia Municipal.

Uma tomada de posse que ficou marcada pela eleição da Mesa da Assembleia Municipal, mas também pela ausência de discurso do Presidente da Câmara Municipal, António Anselmo, por não lhe ter sido concedida a palavra pelos Presidentes da Mesa da Assembleia.

Após a tomada de posse de todos os eleitos da Câmara Municipal de Assembleia Municipal, procedeu-se à eleição da Mesa da Assembleia, que ficou constituída por Jorge Pinto (CDU), Agnelo Baltazar (PS) e Maria João Lopes (PSD).

Recorde-se que nas Autárquicas de 26 de setembro o MUB venceu com 43,04% dos votos para a Câmara Municipal, seguindo-se o PS com 31,65%, o PPDS/PSD com 13,87%, a CDU com 7,48% e o CDS-PP com 0,90%. Já para a Assembleia Municipal, o MUB não obteve a maioria absoluta, obtendo 38,91% dos votos, seguindo-se o PS com 30,70%, o PPD/PSD com 15,14%, a CDU com 9,46% e o CDS-PP com 2,12%.

No final da cerimónia ODigital.pt tentou falar com o presidente da Câmara Municipal de Borba, António Anselmo, que escusou-se a prestar declarações.

Por sua vez, no discurso proferido na tomada de posse enquanto presidente da Assembleia Municipal, Jorge Pinto (CDU), explicou que “a necessidade de dar relevo institucional à Assembleia, conduzindo à procura de uma solução que viabilizasse uma alternativa para a presidência e para a mesa deste Órgão autárquico, assente na capacidade de um compromisso de recuperar o papel, a função e atividade da Assembleia Municipal”.

Jorge Pinto disse também que “a concretização deste objetivo resultou de uma solução de entendimento entre as três forças políticas, sem quaisquer outros compromissos”, acrescentando que “a presidência agora eleita assume uma rotação dos eleitos pelos diferentes lugares da mesa, assumindo cada um deles a presidência por 16 meses.”

O agora eleito presidente da Assembleia Municipal de Borba deixou claro que “à Câmara Municipal caberá executar a atividade que lhe compete nos termos da legais e que lhe vier a ser confiada pela Assembleia Municipal”, no entanto “há competências que cabem à Assembleia e esta não se demitirá das suas responsabilidades”.

“À assembleia cabe fiscalizar a atividade do executivo e não apenas tomar conhecimento do escasso relatório apresentado pelo presidente da Câmara”, frisou ainda Jorge Pinto.

Fique de seguida com as imagens desta tomada de posse, numa reportagem de Hugo Calado: