Borba: Na Orada recua-se no tempo e cantam-se as Janeiras (c/som e fotos)

“Acorda que estás dormindo, oh alma do céu sagrado

Quem ouvir este ditado, que umas esmolas estou pedindo,

Estou com os meus deveres cumpridos e os meus ditos salgais

Eu canto e peço para os demais e são esses os deveres meus

Peço pelo o amor de Deus, para as vossas almas mortais.”

É Assim que ao Casa da Cultura de Orada inicia o cante das Janeiras pelas ruas da localidade de Orada, no concelho de Borba. Trajados à época e acompanhados pelos instrumentos musicais utilizados antigamente os membros do grupo da Casa da Cultura de Orada desejam assim um bom ano à população.

ODigital.pt acompanhou esta bonita tradição e falou com Paulo Laranjo, da Casa da Cultura de Orada, que explicou que as “nossas tradições é o Cante ao Menino e o Canto das Janeiras, e desta forma vamos cantar e desejar um bom ano para todas as pessoas da freguesia, não só da freguesia mas também do concelho”, acrescentando que “este ano com uma particularidade das roncas aparecerem. E as roncas aparecem aqui fruto de um trabalho de recolha que tenho feito nos últimos tempos, onde nessa pesquisa percebi que as roncas eram os objectos principais nos nossos antepassados, e portanto este ano em principio vamos abdicar dos acordeão e voltar às origens e à simplicidade do povo nessas cantigas das Janeiras e Cantigas ao Menino.”

Paulo Laranjo referencia ainda que “o Lume é também uma tradição que nos vem acompanhando há muitos anos. Antigamente não era feito nestes moldes, mas sim com as pessoas a virem para a igreja quando vinham para a missa do galo e cada um trazia a sua lenha ou ramo e faziam o lume junto da igreja para se aquecerem dos dias curtos e noites frias. Servia para se aquecerem antes e depois da missa do galo. E depois era em volta desse lume que se aqueciam e conviviam, até porque por diversas situações há muito tempo que não se viam e servia também para isso.”

Já sobre objectivo de recriar as tradições precisamente como se faziam na época, o responsável refere que “a Casa da Cultura trabalha com o objectivo de recolher, preservar e divulgar as nossas tradições e culturas e este ano com a introdução das roncas, que é fruto da pesquisa que há pouco falei, vamos junto das pessoas mais idosas e de alguns registos, percebemos que as roncas eram mesmo utilizadas, a simplicidade do povo, porque eram coisas que o povo apanhava como um cântaro, umas telhas, qualquer coisa servia para cantar. Não havia possibilidade para outros instrumentos e então era daquelas coisas fáceis de fazer que não causassem despesa e que as pessoas pudessem acompanhar os cantes ao menino.”

Fique de seguida com algumas fotografias desta tradição, podendo ainda observar imagens do Museu Etnográfico “Uma Casa Alentejana”.