Borba: Investimento de 35M€ vai transformar Convento das Servas em hotel de luxo

Convento das Servas

Conforme ODigital.pt já noticiou, o Convento das Servas, na cidade de Borba, deverá ser transformado num resort de luxo, num investimento que ultrapassa os 30 milhões de euros.

O projeto foi apresentado, este sábado, numa Assembleia Municipal de Borba, em que os promotores do projeto tiveram oportunidade de explanar todos os objetivos e as metas delineadas.

Nas palavras proferidas, o presidente da Câmara Municipal de Borba, António Anselmo, afirmou que “o processo tem sido lento, mas agora está no bom caminho”, sendo este “o maior investimento privado nos últimos anos em Borba”.

Na apresentação feita para os deputados, os representes da empresa promotora, a Investaureum, afirmaram que “o grupo acredita no Alentejo” e por isso “está a investir na região, com dois projetos”.

Sobre o projeto do Convento das Servas, foi dito que terá 55 quartos, 45 villas exclusivas, spa, piscina exterior, restaurante, bar e espaço para eventos.

Foi afirmado nesta sessão que o imóvel “irá sofrer uma intervenção total, mas não haverá uma demolição de tudo, pois, serão mantidos todos os aspetos arquitetónicos importantes”, ou seja, “pretende-se requalificar e dar vida a este património.”

Já em declarações a’ODigital.pt o Arquiteto Jorge Forte, Administrador da empresa Investaureum, promotora do projeto, adiantou-nos que “este é um projeto que já estamos a elaborar há cerca de 3 anos e só agora está a culminar com a sua apresentação”, acrescentando que “trata-se da reabilitação do Convento das Servas juntamente com a igreja” e o um dos aspetos que é novidade é a “integração neste projeto das oficinas da Câmara, não só para tornar o projeto com outra escala, mas acima de tudo, pelo impedimento que nós temos, pois, qualquer tipo de operador que venha a operar no hotel não pode, uma vez que as oficinas provocam muito ruido e estando coladas a um hotel 5 estrelas superior não é possível e fomos advertidos pelo operador que não é possível e por isso estamos aqui para levar esta nova ideia a bom porto.”

Já sobre o investimento a fazer no Convento das Servas, Jorge Forte adiantou-nos que “estima-se um projeto na ordem dos 35 milhões de euros e estamos a falar de cerca de 150 postos de trabalhos qualificados”.

Já sobre os postos de trabalho o Administrador da Empresa referiu que “essa é uma das causas principais que nos preocupa, a falta dessa mão de obra qualificada, mas também já nos foram dadas algumas garantias por parte da Turismo Alentejo e do IEFP”, referindo ainda que “estamos a trabalhar numa ação concertada que visa fazer formação, ou seja, nós aqui e juntamente com Vila Viçosa, que mais ou menos vai coincidir com a abertura e aí vamos necessitar de mais de 300 trabalhadores, pelo que, pretendemos que haja uma formação local turística, em que essa formação resulte de trabalhadores nativos e isso vai otimizar para nós e essa é a próxima etapa, para que daqui a 2 ou 3 anos já os possamos ter para puder abrir as unidades hoteleiras.

Sobre metas temporais para o início das obras, o responsável revelou que “nós queríamos avançar para a obra no segundo trimestre de 2022, mas para isso temos de ter tudo aprovado

Em entrevista a’ODigital.pt, o Arquiteto Jorge Forte, Administrador da empresa Investaureum, promotora do projeto, adiantou-nos que “o processo está mais agilizado e queremos em setembro dar início à respetivas obras, nomeadamente às prospeções arqueológicas, uma vez que a obra só vai dar início no próximo semestre de 2022”.

Jorge Forte concluiu dizendo que “este foi outro dos projetos que iniciamos no Alentejo muito antes da pandemia, muito antes apostamos no Alentejo, porque achamos que a região reúne todas as condições, achamos que o Alentejo ainda está por explorar e em particular Borba, que na minha opinião é ainda virgem, pois, tem de fato um património incalculável e um empreendimento destes vai de fato trazer mais pessoas”.

Este hotel deverá chamar-se “Real Convento das Servas Hotel Villas Spa”, estando a empresa promotora em negociações com um operador para explorar o espaço.