Bombeiros do distrito de Évora regressaram do incêndio de Proença-a-Nova, que mobilizou mais de mil operacionais

Incêndio em Proença-a-Nova

Mais de mil operacionais combateram o incêndio que deflagrou no domingo em Proença-a-Nova e alastrou aos concelhos de Oleiros e Castelo Branco.

Um incêndio que devastou milhares de hectares, sendo assim um dos maiores incêndios do ano.

Do distrito de Évora seguiu um Grupo de Reforço de Incêndios Florestais (GRIF), que já foi desmobilizado e chegaram, esta quinta-feira, sãos e salvos ao seu ponto de partida.

O GRIF do distrito de Évora, chegou ao final da manhã, desta quinta-feira, a Vila Viçosa, onde fez toda a logística e depois cada equipa seguiu para o seu respetivo quartel.

Tratou-se de uma coluna de 9 veículos, nomeadamente das corporações de Vila Viçosa, Estremoz, Évora, Montemor-o-Novo, Viana do Alentejo, Mourão, Borba e Portel. Este grupo foi inicialmente comandando pelo Comandante dos Bombeiros de Redondo, Rodrigo Moura (de domingo a terça-feira) e depois pelo Comandante dos Bombeiros de Vila Viçosa, Nuno Pinheiro (de terça a quinta-feira).

Recordamos que este incêndio feriu doze bombeiros ficaram feridos e que três concelhos foram afetados pelo incêndio de Proença-a-Nova, que deflagrou este domingo. No seu pico, o incêndio chegou a mobilizar 1.100 operacionais, apoiados por 18 meios aéreos. Relativamente ao GRIF do distrito de Évora, não se registaram incidentes.