Beja: “Não se apurou que tenha existido intervenção de terceiros”, no caso da morte de um militar paraquedista

O Ministério Público de Beja – Procuradoria de Beja – proferiu, no passado dia 8 de Janeiro de 2020 e na sequência das investigações realizadas, despacho de arquivamento no inquérito instaurado por factos ocorridos no dia 27 de Setembro de 2019 na Base Aérea nº 11 em Beja e dos quais resultaram a morte de um militar paraquedista.

Segundo o Ministério Público, “não se apuraram indícios de matéria criminal punível por lei.”

“Não se apurou que, na origem do sinistro, tenha existido intervenção de terceiros – dolosa ou negligente – nomeadamente na preparação e acondicionamento do equipamento usado pelo militar falecido”, acrescentou ainda o Ministério Público.