Autárquicas: PS recandidata autarca Marcelo Guerreiro em Ourique

Presidente da Câmara Municipal de Ourique

O atual presidente da Câmara de Ourique (Beja), o socialista Marcelo Guerreiro, que cumpre o seu primeiro mandato, recandidata-se ao cargo nas eleições autárquicas deste ano, anunciou hoje o partido.

Marcelo Guerreiro, de 31 anos, foi eleito presidente do município alentejano em 2017, mas já é presidente da câmara desde 2015, quando o então autarca Pedro do Carmo foi eleito deputado na Assembleia da República e renunciou ao cargo.

Em comunicado enviado à agência Lusa, o PS referiu que a candidatura liderada por Marcelo Guerreiro tem como lema “Por Ourique, como sempre” e “mantém o traço de proximidade às pessoas e ao território”.

Segundo os socialistas, será uma candidatura “de afirmação das marcas de identidade” do concelho e de “defesa intransigente, construtiva e ambiciosa de soluções para o interior e o mundo rural”.

O PS frisou ainda que, “depois de ter consolidado a trajetória de reequilíbrio das contas do município, iniciada em 2005, o próximo mandato tem todas as condições para impulsionar novos projetos no âmbito da revisão do Plano Diretor Municipal”.

Ao mesmo tempo, acrescentaram os socialistas, será possível “aproveitar as oportunidades de financiamento que existirão e continuar a dar prioridade central às pessoas, às suas necessidades e vivências”.

De acordo com o comunicado, a candidatura encabeçada por Marcelo Guerreiro pretende igualmente, em caso de reeleição, “gerar novas oportunidades de dinamização da economia local e sustentar a coesão social e territorial”.

Natural de Ourique, Marcelo Guerreiro é licenciado em Gestão de Empresas pela Universidade do Algarve e militante do PS.

O autarca é o quarto candidato conhecido à presidência da Câmara de Ourique, onde lidera um executivo composto por quatro eleitos do PS e um do PSD.

São também candidatos à presidência do município Gonçalo Valente (PSD), Joaquim Barbio (CDU) e Idalete Brito (Chega).

As eleições autárquicas deste ano ainda não têm data marcada, mas, por lei, realizam-se em setembro ou outubro.