Autárquicas: Novo autarca de Estremoz (PS) quer reunir com trabalhadores

José Sadio

O presidente eleito da Câmara de Estremoz, José Daniel Sádio (PS), mostrou-se hoje satisfeito com a vitória socialista neste concelho, nas autárquicas de domingo, e prometeu, como “primeira tarefa” no cargo, reunir-se com os trabalhadores municipais.

O sentimento é “de cansaço”, pelo trabalho na campanha e nos quatro anos na oposição, “e de felicidade”, pois, “conseguimos demonstrar para a maioria” dos eleitores que o PS seria “o projeto mais credível”, afirmou à agência Lusa o novo autarca.

José Daniel Sádio prometeu, como “primeira tarefa, no dia em que entrar nos Paços do Concelho”, reunir-se com “todos os trabalhadores do município” para lhes transmitir que a nova gestão municipal considera-os “o maior ativo” da autarquia.

“Eles são fundamentais para o futuro e para aquilo que queremos implementar e contarão comigo e eu conto com eles, porque a nossa ‘camisola’ é Estremoz e preciso de ter os trabalhadores do município mobilizados, envolvidos, motivados e respeitados”, disse.

O presidente eleito do município definiu ainda como uma das suas prioridade “devolver a normalidade e o espírito democrático” ao concelho, considerando “importante” a entrada, nestas eleições, de “mais forças” políticas para os órgãos autárquicos.

O PS venceu a Câmara de Estremoz, no distrito de Évora, nas eleições de domingo, ‘roubando’ a presidência desta autarquia ao Movimento Independente por Estremoz (MiETZ), segundo os dados provisórios da secretaria-geral do Ministério da Administração Interna.

Depois dos socialistas, que obtiveram 35,32% dos votos e três eleitos, o segundo mais votado foi o MiETZ, com 33,19% e também com três mandatos, enquanto o terceiro foi a coligação PSD/CDS-PP/PPM, com 9,23% dos votos e um eleito.

O novo presidente da autarquia assinalou que este foi o “quadro político” escolhido pelos eleitores do concelho e é com esse “panorama” que os socialistas vão governar o município.

“Espero muito trabalho. Com maioria absoluta ou relativa, o trabalho seria sempre igual”, sublinhou, frisando que o PS dispõe agora de “tempo para projetar, planear e discutir o figurino em termos de governação”.

José Daniel Sádio disse conhecer “bem o que move todas as forças políticas” eleitas para os órgãos autárquicos de Estremoz, manifestando-se convencido de que “todos estão disponíveis para ser solução”.

“Estamos numa fase muito precoce e teremos tempo, nos próximos dias ou semanas, para pensar” sobre a governação da autarquia, mas “não teremos problema nenhum em governar com uma minoria ou uma maioria”, vincou.

A Lusa tentou obter uma reação aos resultados eleitorais por parte do candidato do movimento independente MiETZ que detinha a presidência do município, José Carlos Salema, mas sem sucesso.

No cargo desde que substituiu Luís Mourinha, o atual presidente da câmara Francisco Ramos, eleito pelo MiETZ, movimento que liderava o município desde as autárquicas de 2009, não concorreu nestas autárquicas.

Francisco Ramos assumiu a liderança da câmara em fevereiro de 2019, após a perda de mandato do então presidente Luís Mourinha, também eleito pelo MiETZ, condenado em tribunal pelo crime de prevaricação, devido ao alegado corte de um subsídio à Liga dos Amigos do Castelo de Evoramonte (LACE).

Neste concelho, onde a abstenção foi de 40,65%, as candidaturas da CDU, com 7,69%, do Chega, com 4,80%, do Nós, Cidadãos!, com 4,70%, e da coligação MPT, Aliança e RIR, com 2,06%, não conseguiram qualquer eleito para o futuro executivo camarário.