Autárquicas: Nova autarca de Reguengos de Monsaraz considera histórica vitória do PSD

Marta Prates

A presidente eleita da Câmara de Reguengos de Monsaraz, Marta Prates, classificou ontem a vitória do PSD neste concelho do distrito de Évora como “uma noite histórica” que pôs fim a “45 anos de governação socialista”.

“É uma noite histórica em Reguengos de Monsaraz”, afirmou a nova autarca social-democrata, em declarações à agência Lusa.

Lembrando que este concelho alentejano teve “45 anos de governação socialista”, Marta Prates frisou que a sua candidatura se apresentou com “credibilidade” junto dos eleitores e conseguiu “um excelente resultado”.

“O futuro será trabalhar muito, com seriedade, rigor e muita convicção para melhorar a vida” da população de Reguengos de Monsaraz, vincou, prometendo uma governação “a olhar para as pessoas”.

A presidente eleita deste município alentejano realçou que as eleições autárquicas terminaram agora e que a sua equipa vai “governar para todos de forma igual”.

Também em declarações à agência Lusa, o candidato do PS à Câmara de Reguengos de Monsaraz, Manuel Janeiro, reconheceu que o resultado obtido pelos socialistas “não é aquele” que o partido esperava.

“Ficámos desiludidos, mas é a democracia a funcionar, temos de aceitar, com humildade democrática, os resultados e, agora, há que seguir em frente para sairmos mais fortes depois deste resultado”, acrescentou.

O PSD venceu as eleições autárquicas deste domingo em Reguengos de Monsaraz, conquistando a câmara ao PS com maioria absoluta, segundo os dados do Ministério da Administração Interna.

Apurados os resultados das quatro freguesias do concelho, o PSD, cuja lista era encabeçada pela atual vereadora ‘laranja’ Marta Prates, obteve 48,62% dos votos e três mandatos, enquanto o PS ficou em segundo lugar, com 35,21% e dois mandatos.

O terceiro foi a CDU (PCP-PEV), com 6,90% dos votos, e o partido Chega posicionou-se como quatro força política, que obteve 5,77% dos votos.

Em comparação com as autárquicas de há quatro anos, o PSD mais do duplicou o número de voto, pois em 2017 tinha conseguido 996 votos e agora alcançou 2.502 e o PS em sentido inverso, passando de 3.127 para 1.812 votos.