Autárquicas: Ana Albuquerque do Chega quer “mudar mentalidades” em Ponte de Sor

Chega Ponte de Sor

A oficial de justiça Ana Albuquerque é a candidata do Chega à Câmara de Ponte de Sor (Portalegre), à qual concorre “para mudar mentalidades” no concelho, disse hoje à agência Lusa a própria cabeça-de-lista.

Natural de Lisboa, a candidata, de 44 anos, mudou-se para Ponte de Sor por considerar que “seria uma boa cidade para morar com a família” e “tinha razão”, afiançou.

Contudo, ressalvou, através da sua profissão, também verificou que “havia muitas falhas a vários níveis no concelho”.

O que me leva a candidatar é exatamente tentar responder e colmatar essas falhas que tenho vindo a constatar. Trabalho num sítio onde ouvimos muitas queixas, desabafos, onde vemos um lado muito feio da sociedade e gostava de mudar isso, a começar pelas mentalidades”, explicou Ana Albuquerque.

A candidata do Chega, de resto, garantiu que, no seu programa, não vão “constar promessas”, uma vez que isso é algo “muito fácil de fazer e muito difícil de cumprir”.

O que quero mudar é mentalidades”, frisou a candidata, lembrando que existe no concelho “pouca oferta a nível de empresas que tenham contratação a nível definitivo” e “pouco investimento particular para criar empresas”.

Nascida em 16 de novembro de 1976, em Lisboa, a oficial de justiça, Ana Albuquerque, é licenciada em Tradução e frequentou o curso de Antropologia até ao quarto ano, momento em que interrompeu os estudos para dedicar maior atenção à maternidade.

Apesar de nunca ter sido filiada em nenhum outro partido anteriormente, teve “uma breve experiência” na Assembleia de Freguesia de Galveias, no concelho ao qual agora concorre, mas acabou por desistir porque “não correu como esperava”.

Além de Ana Albuquerque (Chega), está também confirmada a recandidatura de Hugo Hilário (PS) à Câmara Municipal de Ponte de Sor.

O atual presidente do município, Hugo Hilário, lidera um executivo composto por seis eleitos do PS e um da CDU.

As eleições autárquicas deste ano ainda não têm data marcada, mas, por lei, realizam-se em setembro ou outubro.