Autarquia de Vendas Novas defende ensino à distancia para evitar o surgimento de novos surtos de Covid-19

Crianças infetadas

A autarquia de Vendas Novas emitiu um comunicado a defender o ensino à distância para todos os alunos do concelho e pedirá autorização ao Governo para implementar a medida, de forma a “evitar o surgimento de surtos em contexto escolar”.

Informou em comunicado que o pedido de autorização foi aprovado pela Comissão Municipal de Proteção Civil, durante uma reunião extraordinária realizada através de videoconferência.

Informa que será enviada uma recomendação ao Ministério da Educação para que seja autorizado o regime de ensino à distância para o pré-escolar, 1.º e 2.º ciclos do agrupamento de escolas nas próximas semanas.

Antes desta decisão, no domingo, o Agrupamento de Escolas de Vendas Novas já tinha informado que, para os alunos do 3.º ciclo, o segundo período arrancava em regime de ensino à distância e que se mantinha “previsivelmente durante a primeira semana de aulas”.

A autarquia destaca que “a comissão acredita” que o regime de ensino à distância para todos os alunos “será a melhor opção para proteger a comunidade educativa e evitar o surgimento de surtos em contexto escolar”, apesar de reconhecer que a medida “não será fácil para os encarregados de educação”.

A Câmara de Vendas Novas comprometeu-se a garantir “os meios técnicos aos alunos do 1.º ciclo” e apoio ao “agrupamento de escolas no ensino presencial para os filhos de profissionais de saúde, socorro e segurança, que não possam ter o acompanhamento dos seus encarregados de educação em casa”.

Além desta decisão, foram também aprovadas medidas de mitigação da pandemia, que vão estar em vigor até final de janeiro, como o cancelamento de todas as iniciativas municipais e o encerramento ao público de serviços e todos os equipamentos municipais, com exceção dos serviços de tesouraria, que terá limitações.

O atendimento ao público passará a ser feito com recurso a correio eletrónico e telefone ou, em casos excecionais, por marcação, a manutenção do regime de teletrabalho no município para todos os casos em que se possa aplicar e o desfasamento de horários de entrada e saída dos assistentes operacionais no Estaleiro Municipal foram outras das medidas aprovadas.