Associação de Borba poderá coordenar Projecto de Novo Jardim Botânico no Uruguai

A Associação de Desenvolvimento Montes Claros, sedeada na cidade de Borba, pode vir a coordenar Projeto de Novo Jardim Botânico no Uruguai, apoiado pela União Europeia.

Segundo a informação disponibilizada, o projeto foi apresentado por quatro ONGs no âmbito da convocatória europeAid/168002/DDD/ACT, que tem como objetivo específico aumentar a participação das OSC (Organizações da Sociedade Civil) em ações que contribuem à geração de emprego e renda com especial atenção às pessoas, micro e pequenas empresas que sofreram o impacto da pandemia do covid-19.

As referidas acções deverão contribuir para o desenvolvimento econômico sustentável e, ao mesmo tempo, contribuir para o combate às mudanças climáticas, adaptação e mitigação de seus efeitos adversos e/ou conservação do meio ambiente.

As quatro ONGs são formadas por profissionais altamente especializados em diferentes sectores: paisagem, biologia, economia, agricultura, antropologia, geografia e tantos outros que, unidos, apresentaram o projecto denominado “JARDIM BOTÂNICO DE TACUAREMBÓ”.

Segundo a Associação Montes Claros, “o jardim botânico será construído no departamento de Tacuarembó no Uruguai e, além de criar novas fontes de renda e oportunidades de emprego directo e indirecto à população local mais afectada pela pandemia do covid19, proporciona o uso sustentável do território através da educação ambiental, a promoção do ecoturismo e a criação de um lócus propício para o desenvolvimento de actividades científicas”, acrescentando que “actualmente existe no Uruguai apenas um jardim botânico, na cidade de Montevideo. O novo jardim botânico previsto no departamento de Tacuarembó, a 390 km ao norte de Montevideo, poderá abrigar mais de 1500 espécies vegetais a céu aberto. A importância da preservação da biodiversidade, no departamento de Tacuarembó, está associada à necessidade de preservar dois reservatórios de recursos naturais de enorme valor e relevância estratégica: o Aquífero Guarani (a principal reserva de água doce do planeta depois da Antártica) e o denominado “corredor biológico das quebradas do norte” (reserva da biosfera pela Unesco).