Arronches: Representante da CIMAA destaca os jovens “apresentarem o seu testemunho” porque “são o futuro da região” (c/som e fotos)

Decorreu esta sexta-feira, 24 de Maio, no Edifício d’O Celeiro em Arronches, a sessão de apresentação do livro “O Segredo dos Caminhos – Leitura dos Percursos Pedestres do Alto Alentejo”.

Este é o segundo ano de operacionalização da actividade “Fábrica de Histórias” desenvolvida pela organização “Cabeçudos”, no âmbito do projecto intermunicipal promovido pela CIMAA (Comunidade Intermunicipal do Alto Alentejo) – Rede de Promoção do Sucesso Educativo no Alto Alentejo, e visou o desenvolvimento de oficinas de escrita, revisão e ilustração, tendo como produto final a edição de um livro cuja tiragem se estima em 2000 exemplares.

346 alunos dos municípios de Alter do Chão, Arronches, Avis, Campo Maior, Castelo de Vide, Crato, Gavião, Portalegre e Sousel, do 3.º e 4.º anos andaram em diálogos com a natureza e passaram para o papel o que viram, sentiram, imaginaram e descobriram ao longo de nove percursos pedestres de pequena rota da Rede de Percursos em Natureza – Alentejo Feel Nature.

ODigital.pt esteve presente e falou com Carlos Nogueiro, Primeiro Secretário Executivo da CIMAA, que começou por explicar que este projecto está “integrado também no apoio do Plano Nacional do Sucesso Escolar, com as escolas e autarquias”, acrescentando que “este projecto é extremamente importante para chegar aos alunos, para desenvolver a sua actividade, naquilo que é o estímulo para a ilustração e para a escrita e para a leitura. Nada melhor do que observar aquilo que está à sua volta e é a sua oportunidade, desta vez o tema foi percursos pedestres, está evidente no livro, a quem convido a todos para desenvolver leitura, pelos autores que o desenvolveram. Naquilo que olharam, naquilo que é um rio, as árvores, o património, de como conseguiram transformar em poesia e incentivar as pessoas a visitar e usar os percursos pedestres.”

Carlos Nogueiro refere ainda que “esta é a iniciativa, que está no projecto intermunicipal, na Comunidade Intermunicipal com um conjunto de outras acções. Tivemos também a apresentação da árvore do património, naquilo que é a raiz, que são as crianças, e o fundamental da árvore e depois em tudo o que é a sua vida, o património pessoal, concelhio, nacional e sobretudo, no topo da árvore, estavam precisamente as sementes. Daquilo que as crianças consideram no futuro o seu contributo para o território Alto Alentejo. Estamos a tentar estimular com a leitura e a escrita, também, aquilo que é a mais-valia do nosso território.” O Primeiro Secretário da CIMAA adiantou-nos ainda que “para o ano temos como anunciei um outro tema, um tema preocupante, deverão ser as crianças também a dar as suas notícias, a sua informação, a sua leitura, sobre o ambiente. As alterações climáticas, aquilo que é a água, naquilo que é a sua utilização da água e era importante ter esse testemunho dentro deste projecto. Não temos apenas as crianças do 1º ciclo. Temos outras iniciativas também no estímulo do sucesso escolar para o 2º e 3ºciclos que é o Alto Cinema”.

Questionado se esta é de certa forma uma aposta num futuro melhor para o Alto Alentejo, Carlos Nogueiro afirma que “por isso é que estamos com jovens, para eles apresentarem o seu testemunho, mas sobretudo, porque são o futuro da região.”