Apreendidos 800kg de droga dissimulada em isoladores sísmicos. PJ teve de utilizar máquinas pesadas

Policia Judiciária

A Polícia Judiciária em estreita articulação com o Cuerpo Nacional de Polícia de Espanha, levou a efeito uma complexa operação policial de combate ao tráfico ilícito de estupefacientes.

Nesta operação a que a PJ chamou de “Sismo” “foi possível apreender, em território nacional, cerca de 806 kg de cocaína. Foram detidos dois homens de nacionalidade portuguesa, sobre os quais recaem fortes suspeitas de integrarem uma organização criminosa com ligações a vários países e que se dedicava à introdução de grandes quantidades daquele estupefaciente no continente europeu”, revelou a PJ.

A PJ explica que a droga agora apreendida “era proveniente de um país da América Latina, chegou a Portugal ainda em fevereiro num navio saído do Brasil que aportou em Sines. Daí houve um transbordo marítimo para Leixões, de onde os isoladores saíram por via terrestre”, acrescentando que “estava dissimulada em 12 isoladores sísmicos idênticos aos habitualmente utilizados na construção de pontes e que foram transportados por via marítima até um porto nacional.”

“A forma como a droga vinha dissimulada tornou extremamente difícil a sua deteção e, para se proceder à sua remoção do interior daquelas peças de engenharia, foi necessário recorrer a maquinaria pesada de corte, habitualmente utilizada na indústria de metalomecânica. Este modus operandi era até agora desconhecido”, relata a PJ.

No quadro desta mesma operação, cuja investigação se iniciou coordenadamente em Portugal e em Espanha em meados de 2020, o Cuerpo Nacional de Policia havia já procedido à detenção, em Espanha, de dois homens e à identificação de uma mulher, todos nacionais de um país da América Latina e fortemente suspeitos de integrarem a mesma organização criminosa, tendo, ainda, procedido à apreensão de elevada quantidade de cocaína.

As diligências realizadas em território nacional contaram com o apoio da Autoridade Tributária e Aduaneira.

Os dois homens detidos em território nacional, com 46 e 47 a nos de idade e ambos já com antecedentes por vários tipos de ilícitos, foram presentes a primeiro interrogatório judicial, tendo-lhes sido aplicada a medida de coação de prisão preventiva.

As investigações prosseguem.