Antiga Manutenção Militar de Elvas transformada em museu que custou 4ME

Museu de Elvas

O edifício da antiga Manutenção Militar de Elvas (Portalegre) foi reabilitado e vai “dar vida” a um museu de arqueologia e etnografia, a inaugurar na segunda-feira, após um investimento de quatro milhões de euros.

A Câmara de Elvas, entidade promotora da obra, revelou que a inauguração do Museu de Arqueologia e Etnografia de Elvas António Tomás Pires vai ter lugar pelas 15:00 de segunda-feira.

“Este museu vai mostrar todo um espólio que é da câmara e que não tinha espaço para poder ser mostrado a quem nos visita. É a nossa história que está ali contada, era um museu que faltava”, realçou hoje à agência Lusa o presidente do município, Nuno Mocinha.

O autarca destacou o trabalho efetuado na reabilitação da antiga Manutenção Militar de Elvas, tendo ainda explicado que o espaço foi cedido pelo Estado.

Trata-se de “um edifício muito volumoso”, que “estava num estado de degradação muito avançado”, disse.

Estamos perante património do Estado que foi cedido ao município, neste caso através do Ministério da Defesa Nacional, exatamente para este fim: para ser reabilitado e reutilizado”, explicou.

Segundo Nuno Mocinha, o museu vai “impressionar” os visitantes, porque “conta a história” da região, sendo também as pessoas que o visitam convidadas a interagir.

A forma como o museu foi programado torna-o “num espaço agradável de visitar”, afirmou.

E só para despertar um bocadinho o interesse, por exemplo, quando passamos pelos fornos antigos, onde era feito o pão na antiga Manutenção Militar, cheira a pão. O museu vai assim interagir com as pessoas”, realçou.

O projeto, que contou com o apoio de fundos comunitários, apresenta uma exposição permanente que cruza a coleção de arqueologia do município com o acervo de etnografia proveniente do extinto Grémio da Lavoura de Elvas.

Segundo a Câmara de Elvas, a tecnologia à disposição do visitante apresenta distintos meios de multimédia, que ajudam à interpretação dos objetos e complementam a informação disponível.

Para Nuno Mocinha, este novo museu é mais um ativo que vai “qualificar” todo o Património Mundial de Elvas classificado pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO), em 2012, ou seja, as fortificações abaluartadas da cidade.